COZINHANDO E RECEBENDO COM A MESMA ROUPA

Geralmente é assim: se a roupa só precisa ser boa para uma coisa a escolha fica relativamente fácil, mas se ela precisa ser boa para duas coisas — sobretudo para duas coisas opostas! — aí complica. Esse é o caso de quando a gente precisa de uma roupa boa para trabalhar e badalar, para trabalhar e andar de bicicleta ou para receber os amigos em casa AND cozinhar, tudo ao mesmo tempo agora!

idéias pra escolher looks confortáveis, arrumadinhos e ajudadores de quem vai pra cozinha receber amigos!
idéias pra escolher looks confortáveis, arrumadinhos e ajudadores de quem vai pra cozinha receber amigos!
(registros de sessões de montagem de looks das clientes de consultoria de estilo)

Quando as mensagens são quase opostas

Pensa aí, a grande questão dessas roupas “mistas” é que elas precisam suprir demandas meio que opostas. Roupa de trabalho é sobriedade, credibilidade — por exemplo. Roupa de balada é conforto e piriguetagem. Seria quase como se a Cinderela virasse pra Fada Madrinha e dissesse: “Olha, quero arrasar no baile, mas quero voltar e dar uma esfregada nesse chão com a mesma roupa”. Se a Fada Madrinha ler o blog Oficina ela vai falar: “Formou, Cinderela-Borralheira saindo do forno!”.

Cozinhando e recebendo com a mesma roupa

Para falar sobre roupa-para-cozinhar-e-receber-no-mesmo dia, a gente consultou uma pessoa que faz isso o tempo todo: Mayra Abbondanza, cozinheira e consultora de alimentação infantil consciente. A Mayra contou que nessas ocasiões costuma deixar a comida semi-pronta para facilitar o processo, então, ingredientes já ficam limpinhos e cortados em cumbucas, os utensílios já separados e o forno, pré-aquecido.

Ela usa um avental personalizado com fotos da família :) ou um avental feito sob encomenda, num tecido mais tchan. Para ela, o que não rola nem pensar é em usar casaco, cachecol ou colar longo na cozinha. Se for preciso, deixa um cardigã no cabideiro e veste quando terminar o prato. Roupas muito claras e mangas que não podem ser puxadas até a altura do cotovelo também não são muito apropriadas. E a maquiagem precisa ser levinha para não derreter no calor da cozinha — fora isso, é cabelo preso, sapato baixo e sorriso para receber os convidados.

Conforto festivo

Para manter o aconchego e dar um tom festivo a gente pode tentar produções que tenham o conforto do lar, mas um toque mais interessante, sabe? Tipo um vestido longo de malha, sandália birkin preateada, camiseta com bordado poderoso, sapatilha de paetê ou um brinco ou acessório de cabelo bem viúva Porcina para o cabelo preso não ficar sem sal.

A gente não é muito fã de manual de etiqueta desses cheios de regras, mas há uma regra especial que é muito querida nessas ocasiões: a de que, em recepções em casa, a anfitriã pode estar mais simples para deixar os convidados brilharem. <3 Achamos, em especial com esse complemento, que as dicas deste post funcionam super tanto para quem vai cozinhar quanto para quem quer seguir à risca a etiqueta.

 

*Juliana Cunha é jornalista e colaboradora do blog da Oficina de Estilo, que sorte a nossa :) ce pode ler outros textos dela pra Oficina aqui — e os textos autorais dela no Já Matei Por Menos, ó!

Oficina de Estilo no seu email
IDÉIAS PRÁTICAS PRA FACILITAR O VESTIR!
  • e comprar menos e melhor
  • e se arrumar em menos tempo
  • e se sentir linda e autêntica com o que tem no guarda-roupa
  • e exercitar criatividade e se sentir empoderada <3