ESTILO (E CUIDADO!) NA GINÁSTICA

Já de saída, assim pensando rápido: quem acha difícil escolher e coordenar roupa bacana pra usar na ginástica pode preparar conjuntinhos-coordenados e coordenáveis entre si, pra não ter que fazer muito esforço mental (em especial se o movimento é cedo de manhã, né).

Essa disposição pra pensar previamente o que usar durante a atividade física ajuda também a conseguir ‘ser a gente mesma’ tanto quanto possível — mesmo usando roupas que nem de longe seriam a nossa escolha pessoal pra vida. E ainda com todo o conforto e mobilidade a que se tem direito!

É possível usar conhecimento técnico de consultoria de estilo pra direcionar as escolhas do que pode compor esses conjuntinhos — especialmente pensando em cores, texturas, proporções e caimentos. Tem mais (beeem mais!) nos arquivos daqui do nosso site, vale a pesquisa se for o caso de se aprofundar :) mas aqui já vai um resumão bom, ó:

conhecimento técnico de consultoria de estilo pra direcionar as escolhas do que pode compor esses conjuntinhos -- especialmente pensando em cores, texturas, proporções e caimentos, ó: http://www.oficinadeestilo.com.br/blog/estilo-e-cuidado-na-ginastica/

– cor clara expande visualmente, cor escura retrai visualmente. isso não quer dizer que a gente precise usar preto ou branco pra ter esses efeitos, quer dizer que a gente pode escolher com esperteza as tonalidades (mais escuras ou mais claras de quaisquer cores) pra cobrir partes de cima ou de baixo da silhueta. funciona em comparação: cinza é escuro quando a gente coordena com branco, mas é claro se coordenado com preto, saca? que parte da sua silhueta te faz sentir mais deliciosa quando parece menor, e que outra parte você curte valorizar?

+ pequenas malandragens visuais ;-) pra alongar visualmente a silhueta

– olha, mesmo na ginástica vale super tentar criar coordenações monocromáticas (nas mesmas cores, ou com todas as cores claras, ou todas escuras): além de dar aqueeela alongada na silhueta, o esquema de tom-sobre-tom transmite uma certa elegância — mesmo em momentos críticos em cima de uma bicicleta de spinning!

– se a modalidade da atividade física permitir e se for uma demanda pessoal de quem usa :) vale trocar leggings e bermudas ciclistas de lycra por calças mais larguinhas (mesmo as tipo bailarina) e shorts soltinhos — caimentos que fazem o quadril parecer consideravelmente menor, mais suave. não é o caso de sobrar pano demais (né), mas sim de acompanhar a silhueta sem grudar na pele.

+ de truques de estilo que enxugam visualmente a silhueta e suavizam volumes na direção da harmonia <3

– se for o caso de usar legging, fica ligada em como você quer se sentir, em como gostaria de parecer: o comprimento que cobre tooooda a perna até lá embaixo ou o o mais curtinho, logo abaixo do joelho, tem efeito visual de alongar/afinar pernocas. o comprimento intermediário, que fica mais ou menos na altura da panturrilha, tem efeito de encurtar e “encher” visualmente o volume da perna. e né, esses efeitos são reforçados ou amenizados pelo contraste de cor entre legging e pele. ;-)

– detalhes e estampas em direção diagonal fazem com que barriguinhas pareçam mais enxutas (alô transpassados!), e detalhes mais escuros nas laterais das roupas afinam demais a silhueta (visualmente), “inventando” uma cinturinha bem ótima!

– quem tem peitão pode se sentir mais à vontade usando camisetas e tops decotados (especialmente em V) do que com modelos mais fechados, tampando tudo até o pescoço. vale experimentar o combo top justinho/firme por baixo + camiseta decotada mais soltinha por cima.

– pensa com a gente: a princípio, quem tem um guarda-roupa super colorido e estampado não tem por que escolher looks minimalistas em cinza e marinho e branco pra atividade física, né? do mesmo jeito que quem curte neutros elegantes não precisa se colorir inteira na ginástica. é muito possível existir exceções cheias de sentido, mas né, em geral escolhas coerentes funcionam como “reforçadores de estilo pessoal”!

+ de quantidades de peças e tipos de cores pra construir guarda-roupa coordenável

– quem tem personalidade mais forte e assertiva pode curtir linhas retas nos decotes, nas estampas, nas barras (e mais contraste nas coordenações de cores); quem é mais expansiva ou romantiquinha pode curtir decotes curvos, linhas arredondadas (e menos contraste na hora de coordenar as cores do look).

+ de mensagens e sensações que as cores (e suas coordenações) podem carregar em si

– e toda técnica ou truque de estilo funciona melhor se as peças pra fazer atividade física servem direitinho na gente: por natureza essas peças já são super justas-justésimas, não tem necessidade de comprar tamanho apertadinho. especialmente porque essa é a hora em que a gente corre se estica senta levanta se dobra levanta peso faz esforço… e é assim que as nossas gordurinhas teimam em saltar pra além da roupa apertada — e dão o ar da graça na cintura, nas costas, embaixo dos braços, costas e mais.

– por fim, roupa velha, detonada, rasgada, desbotada, com a barra desfeita, herdada das campanhas das últimas eleições ou das férias na praia em 1998, não precisa ter sobrevida estendida com a desculpa de que vai ser usada “só” na academia. né?

roupa pra fazer ginástica –assim como tudo que a gente veste (até roupa de ficar em casa)– ajuda a construir estilo pessoal consistente, a transmitir personalidade, a fazer a gente se sentir como a gente quer se sentir. mas mais que isso, roupa pode garantir sensação de cuidado e carinho e atenção consigo mesma: e essa é a parte mais importante de qualquer look.  <3

NOSSA NEWSLETTER SEMANAL chega aí no seu email com mais questionamentos, facilitadores de vida e idéias práticas sobre estilo pessoal e consumo consciente. ASSINA PRA RECEBER!

Oficina de Estilo no seu email
IDÉIAS PRÁTICAS PRA FACILITAR O VESTIR!
  • e comprar menos e melhor
  • e se arrumar em menos tempo
  • e se sentir linda e autêntica com o que tem no guarda-roupa
  • e exercitar criatividade e se sentir empoderada <3