O QUE VESTIR EM VIAGEM LONGA

Não tem aqui na Oficina um trabalho de malas inteligentes que não entregue também os looks de ida e de volta das nossas clientes de consultoria. Essa é uma atenção valiosa: escolher o que se usa em qualquer deslocamento de longa distância (seja de ônibus, de carro, de trem ou de avião) tem tudo a ver com conforto.

Acontece que conforto é uma sensação muito muito pessoal, e acontece de mil maneiras pra pessoas diferentes: tem gente que se se sente confortável de jeans, outras de vestido, outras até de salto, outras de legging ou moletom. A gente já trabalhou com todos esses tipos de conforto e acredita demais que existam ainda tantos outros possíveis!

por aqui a gente considera o conforto físico, mas também o conforto social/emocional: ó a fórmula que a gente usa com nossas clientes de consultoria!

E se fosse o caso de levar em consideração somente o conforto físico, todo mundo podia viajar só de pijamão e pronto. Mas né, tem também um conforto social/emocional que dá a liga na coisa toda: look bom de viajar é o que cai 100% gostoso fisicamente — sem que a gente se sinta desleixada, desarrumada, feiosa.

Tá aqui a fórmula que a gente usa com nossas clientes de consultoria pra pensar os looks de ida e de volta de qualquer viagem longa, com um disclaimer: a fórmula funciona na medida em que a gente identifica como é o conforto que se quer sentir. E isso demanda uma (auto) investigação honesta, com tempo e respiro, pra entender funções e demandas que são só nossas, né?

_1 calça confortável
_2 camisetas com manga longa
_1 cardigan ou moletom
_1 lenço quentinho

Tipicamente a gente sugere looks com essa mesma estrutura: usando a mesma parte de baixo na ida e na volta (e os mesmos complementos), a gente junta partes de cima diferentes e pronto. \o/

Materiais mais molinhos, desestruturados, ajudam corpinhos sentados por muitas horas — e também garantem mobilidade). Um universo possível é o das malhas, moletons, tricôs, algodões finos… Daí a gente leva em consideração o clima da saída e da chegada pra escolher materiais mais pesados ou mais leves. E então, pra cada uma de nós, essas peças podem variar: vale saia mídi ou bermuda no lugar de calça, vale jaquetinha no lugar do cardigan — e a gente pensa nessas peças à parte do que já se leva na mala.

Como esse look é tipicamente todo molinho, a gente procura elegantizar com coordenação de tons neutros, próximos, e com complementos de qualidade: terceira-peça protege do frio e incrementa com um tiquinho de formalidade; sapatilhas folgadinhas ou mocassins com frente arredondada equivalem a tênis (sapato de viagem precisa acomodar como um abraço os eventuais pés inchados e tem que permitir acréscimo de meias, se for o caso!); bolsas médias/grandes concentram muitos mini-volumes num lugar só (alô necessaire, documentos, livro, fone de ouvido, carteira, etc etc etc).

Se a viagem já começa por esse deslocamento, vale separar tempo e atenção pra cuidar do look que leva a gente ao destino — já é possível sair de casa com a mesma animação, com a mesma alegria que se registra nas fotos depois.

+ COMO FAZER MALAS INTELIGENTES
+ COMO FAZER BOAS COMPRAS EM VIAGENS

 

por aqui a gente considera o conforto físico, mas também o conforto social/emocional: ó a fórmula que a gente usa com nossas clientes de consultoria!

por aqui a gente considera o conforto físico, mas também o conforto social/emocional: ó a fórmula que a gente usa com nossas clientes de consultoria!

Oficina de Estilo no seu email
IDÉIAS PRÁTICAS PRA FACILITAR O VESTIR!
  • e comprar menos e melhor
  • e se arrumar em menos tempo
  • e se sentir linda e autêntica com o que tem no guarda-roupa
  • e exercitar criatividade e se sentir empoderada <3