QUESTIONAMENTOS PRA CONSUMIR MELHOR

Esse post faz parte de uma série de questionamentos, tem mais dessas idéias aqui, ó:
+ CONSUMISMO É DIFERENTE DE CONSUMO
+ NÃO É SOBRE ‘O QUE’, MAS SOBRE ‘COMO’
+ PROPAGANDA ATRAPALHA ESTILO PESSOAL

Consumir melhor pra gente e pro mundo começa quando a gente procura entender que, como consumidoras, temos deveres e obrigações. Não adianta colocar a culpa no mundo, no mercado, em quem produz via trabalho escravo: a gente tem a maior responsabilidade desse sistema.

questionamentos pra comprar menos, mas melhor: no blog da Oficina http://www.oficinadeestilo.com.br/blog/tag/como-consumir-melhor/

Comprar é uma ação individual, de consciência pessoal — mas né, impacta no coletivo. Pensando assim fica claro: se questionar ajuda a melhorar a qualidade do consumo. Comprar com consciência não é só querer saber de onde o produto vem ou como foi produzido, mas também cuidar da manutenção e do descarte. Perguntas importantes podem ser:

– Vou cuidar dessa peça pra que possa usá-la por pelo menos 30 vezes?
– De onde o produto vem?
– É daqui de perto ou vem viajando de longe?
– Quem fez? Vem de pequenas empreitadas humanas ou de grandes varejistas/acionistas/banqueiros?
– Qual o tamanho da produção: pequena, média ou gigantesca?
– Do que é feito? De materiais duráveis, que não demandam manutenção delicada, impossível?
– Vai render looks diferentes com o que já está no guarda-roupa? Pra ocasiões diferentes? (E não só pra trabalho, ou só pra lazer, ou só pra balada?)
– Consigo estender a vida útil desse produto ao máximo?
– Pra onde essa peça vai quando eu não for mais usá-la? (Vale até pensar que algodão é material natural e um dia se desfaz, e que poliéster é petróleo e nunca vai deixar de existir, mesmo que não mais em forma de roupa!)
– E quando essa vida útil chegar no limite, tenho meios de descartar com responsabilidade?

E se a gente começa a achar difícil saber de onde o produto-matéria-prima vem ou como foi produzido, e se não consegue viabilizar descarte adequado… MELHOR NÃO COMPRAR! A gente é muito mimada e acha que morre por que deixa de comprar qualquer produto, que “precisa” daquilo… mas ó: não precisa e nem morre quando não compra. Muitíssimas vezes o que há de mais sustentável a fazer é NÃO COMPRAR. Tirou da loja, tem que se responsabilizar pelo descarte. Por isso vale pensar bem ANTES de tirar qualquer coisa da loja.

+ Lucid Bag: aluguel de peças num guarda-roupa compartilhado
+ Roupa Livre: movimento que incentiva um novo olhar no lugar de mais coisas
+ A costureirinha: aulas práticas de costura (em SP e em vídeo)
+ Dress and Go: aluguel de looks de festa

Por isso também as iniciativas de troca de roupas e de aluguel temporário de peças/acessórios são tão legais. Essas práticas estendem de verdade a vida útil de tudo que a gente pode usar, rendem versatilidade e incrementam nossos armários sem que a gente faça compras, minimizam nossas preocupações com descarte adequado.

Aceitação e criatividade são super antídotos contra o consumismo (e ainda proporcionam uma vida com mais satisfação). E consumo consciente/inteligente demanda raciocínio claro e calmo (com tempo!).

Por fim, ó, julgar e apontar o dedo pro outro não ajuda, ninguém é 100% sustentável em tudo todo dia. É preciso botar energia em fazer O MELHOR QUE SE PODE COM OS RECURSOS QUE SE TEM no agora, e de novo a cada oportunidade. Vamos pensar nisso, conversar sobre isso, tentar vigiar nossas intenções pra conseguir colocar em prática pelo menos um pouquinho a cada dia.

NOSSA NEWSLETTER SEMANAL chega aí no seu email com mais questionamentos, facilitadores de vida e idéias práticas sobre estilo pessoal e consumo consciente. Assina pra receber!

Oficina de Estilo no seu email
IDÉIAS PRÁTICAS PRA FACILITAR O VESTIR!
  • e comprar menos e melhor
  • e se arrumar em menos tempo
  • e se sentir linda e autêntica com o que tem no guarda-roupa
  • e exercitar criatividade e se sentir empoderada <3