blog

  • A Serafina – revista mensal da Folha – fez um ensaio fotográfico conectando as estampas da SPFW com um outro evento importante para a cidade: a reabertura do Theatro Municipal, que passou três anos fechado para reformas.

    No ensaio, bailarinos do Municipal aparecem usando roupas dos desfiles da Osklen, Amapô, Cia. Marítima, Alexandre Herchcovitch e Lino Villaventura. Atrás deles, plotagens imensas com as mesmas estampas que das roupas fazem as vezes de cenário.

    A intenção do ensaio – segundo a editora de moda do jornal, Vivian Whiteman -, é reforçar os elos entre a moda e a vida da cidade.

    Em vez de ficar apenas na bolha da semana de moda, a revista olhou para o que estava acontecendo fora do pavilhão da Bienal e que também era lindo:

    “A conexão entre a moda e a arte – que na minha opinião são coisas diferentes – existe e é inegável. A moda como veículo de comunicação de ideias e de configurações sócio-econômicas e comportamentais, sempre buscou nos meios de expressão artísticos ideias para compor suas imagens. A pegadinha é que, mesmo quando se junta à arte, a moda não se livra do comércio, porque mesmo um editorial super conceitual está situado num contexto de produto. A nossa intenção na verdade foi ligar a SPFW a um outro evento importante para a cidade. Em vez de fazer o caminho esperado – levar o balé para fotografar roupas “chiques” no Municipal – trouxemos os bailarinos para o ‘cenário da moda’. Esse tipo de conexão entre a roupa e a cidade é importante”, conta Vivian.

    As estampas foram escolhidas para criar momentos mais leves em oposição a outros mais pesados em termos de padronagem e cores. Já os passos que aparecem nas fotos foram definidos pela coreógrafa do grupo.

    Diz se não é o ensaio mais legal que a SPFW nos trouxe!


  • A gente comentou – no nosso vídeo de balanço de tendências pro próximo verão – que iria fazer um post só pra falar sobre mochilas e… tcharam! Aqui estamos!!! Porque no meio de um monte de coisas novas-mas-nunca-tão-novas-assim que costumamos ver em semanas de moda, mochila parece ser um pouquinho mais inusitado, não é mesmo!?! Tem muita gente que usa mochila, mas a mochila que a gente quer conversar sobre aqui no blog é a que funciona como acessório, no lugar de bolsa e não a mochila utilitária. Porque quando marcas tipo Maria Bonita desfilam mochila quer dizer que o status da peça foi elevado de simplesmente esportivo pra, no mínimo, esportivo-chique.

    mochilas

    A “nova” mochila pode acompanhar um look mais formalzinho ou mais sofisticadinho, mas nunca muito formal ou muito sofisticado porque por mais chique que seja a mochila ela ainda transmite uma mensagem mais informal. (mais…)


  • Coordenar comprimentos em proporções assimétricas é uma das sacadas mais simples e mais “acrescentadoras de interessância” do vestir. Acontece que os comprimentos de bermudas, saias e até calças subiram (às vezes bem pouquinho!) e as barras de blusas e camisetas desceram, pra compensar. Tipo assim: quando a barra da parte de baixo sobe, a barra da parte de cima pode descer – e o contrário também vale, com barra da parte de baixo descendo e barra da parte de cima subindo (alô tops curtos pra deixar pedacitos de barriga à mostra). A gente usa as linhas da virilha e do ossinho do quadril como referência (mas não é regra, é direção só).

    comprimentosh

    E a gente parou pra pensar que essas proporções podem estar acontecendo assim por conta dos “novos sapatos” que a moda vem sugerindo que a gente use. De temporadas pra cá os sapatos têm gáspea mais alta e quase sempre cobrem (mointo) o peito dos pés, tipo botinhas ou super assandalhados cheios de tiras, não é mesmo? Pois quanto mais os pés são cobertos, mais curtas e grossas as pernas ficam – barras mais curtas deixam mais pele à mostra e ajuda a alongar. Não faz sentido?!?? Por conta dessas alturas diferentes a gente pode brincar com sobreposições e cores e texturas: vale coordenar jaquetas e cardigans em comprimentos diferentes pra criar mais pontos de atenção no look – clica pra lembrar desse post sobre porporções em que a gente mostrou um monte de referências! O mais importante de tudo é não deixar o look com dois blocos iguazinhos, em tamanhos equivalentes. Sempre uma parte do look (a de cima ou a de baixo) precisa aparecer mais, ocupar mais espaço na silhueta. E pronto!

    A gente fez um videozito-tudo pro blog Combina com Você, pra mostrar na prática – e no provador! – como essas alturas “novas” funcionam. Clica pra ver que tá super explicadinho, de verdade. E a Cristi tá gravidíssima na tela, precisa ver. ;-)


curtimos

ideias complementares às da Oficina