TECIDOS NATURAIS x TECIDOS NÃO-NATURAIS

Olha, roupa é geralmente feita de tecido. Então é bem esperto de nossa parte conhecer tipos de tecidos e saber das propriedades (boas e não-tão-boas) de cada um, nénão? Conhecendo, a gente consegue avaliar o que funciona melhor (pra gente) em cada ocasião da vida, que sensações cada um proporciona pra quem veste, que mensagens comunica (como fazem a gente se parecer), pra que temperaturas escolher cada tipo desse materiais, no que pode valer gastar mais ou menos $$$.

Todo tecido é feito de fibras, e essas fibras podem ser

-naturais = encontradas prontas na natureza, tipo algodão, linho, seda e lã;
-artificiais = produzidas quimicamente com matérias -primas naturais (principalmente da celulose), tipo viscose, cupro, tencel/liocel e acetato;
-sintéticas = produzidas pelo homem com matérias-primas não-naturais (principalmente petróleo), tipo poliéster, poliamida, acrílico, nylon e elastano.

tecidos naturais x tecidos sintéticos

Os tecidos podem ter “nomes fantasia”, por exemplo: a gente pode chamar de seda (e até reconhecer, pelo toque, algo como seda) mas né, a composição desse tecido pode ser 100% sintética. Crepes, microfibras, tafetás e principalmente tricôs trazem nas etiquetas internas a descrição certinha da mistura de fios que os compõem — inclusive com porcentagem de cada um.

E aí, entendendo essa etiqueta de composição, a gente pode avaliar o que vale mais a pena a partir das nossas próprias demandas pessoais (de estilo, conforto, orçamento, sensações desejadas, aspirações e até de códigos profissionais de vestir) — sem precisar de regras ou de “certo” x “errado”. Ó:

CONFORTO
Tecidos naturais são tipicamente mais gostosos de vestir, tem toque mais agradável, são mais flexíveis, permitem ventilação mais fluida entre o calor que o corpo gera e o ar que fica em volta. As fibras sintéticas tem toque mais áspero mesmo quando tem caimento maleável, e por isso tocam a pele diferente: pode ser desconfortável pra caramba passar o dia sentada com calça/saia sintética, ou suar o sovaquinho em blusas não-naturais.

ELEGÂNCIA
O que é feito em tecido natural sempre carrega uma aparência mais refinada-clássica do que o que não é natural. Esses tecidos podem amassar bastante, mas também desamassam com o próprio uso — então mesmo quando se passa muito tempo vestida de algodão, linho, seda ou lã, ainda se tem sensação de “impecabilidade”. Os materiais não-naturais muitas vezes tem um brilho extra (do plástico!) que informaliza demais as peças, com um aspecto um pouco mais grosseiro e bem menos sofisticado — mas né, alguns materiais sintéticos tem essa cara “tecnológica” que pode elegantizar geral, dependendo do design. Tudo tão relativo, tão passível de escolher personalizadamente!

TEMPERATURA
Peça feita 100% com fibras naturais é sempre mais fresquinha: no calor, mesmo peças escuras –se feitas em algodão, seda e afins — dão menos sensação de quentura do que peças sintéticas. Faz mais sentido também pensar em camisa soltinha de tecido natural do que em regata justa de tecido sintético, entende? Por outro lado, tricôs feitos com fibras sintéticas aquecem mais sem precisar ser volumosos ou super espessos (e geralmente custam menos!) — a gente recomenda demais usar camisetas justinhas de algodão por baixo, pro toque gostoso estar garantido na pele, e então usar tricôs finos aquecedores por cima.

MANUTENÇÃO
Fibras sintéticas rendem mais bolinhas e podem derreter/queimar/marcar no ferro super quente, então demandam sempre uma atenção extra na hora de lavar e passar. Fibras naturais são mais resistentes, mas podem soltar cor e né, sedas super finas precisam de carinho extra na sua limpeza (sempre à mão!) — geralmente custam mais, então a manutenção também fica mais atenciosa pra fazer durar!

VALOR
Quanto mais material natural numa peça, mais o valor pode ser justificado. Pensa: é recurso natural, os processos de obtenção e desenvolvimento são mais precisos, demandam mais. Então não vale a pena pagar super caro por uma peça de fibra não-natural — a não ser que o valor alto seja avaliado levando em consideração o design, o caimento e a função — assim cada uma de nós avalia custo x benefício personalizadamente. Por outro lado, mesmo uma camiseta simples tem seu valor quando feito 100% com material natural, né?

TECIDO PLANO x MALHA
Malhas e tecidos planos tem efeitos diferentes na silhueta e também fazem sentir sensações variadas — tudo passível da gente escolher de acordo com o que quer sentir e como quer parecer. E existe tecido plano AND malha tanto de fibra natural quanto de material não-natural. Vale conhecer essas diferenças pra escolher certeiro!

01 EXTRA
Quanto menos processos industrializados demandados pro tecido existir, menos  ele demanda do meio-ambiente. Então escolher tecidos naturais sempre conta mais pontos sustentáveis do que escolhas por sintéticos. (Mas né, tem outras tantas variáveis pra direcionar essa escolha — saiba mais aqui, ó.)

+ toda uma aula sobre esse tema pra quem quer aprender e aplicar com clientes de consultoria de estilo no módulo 6 do nosso CURSO DE FORMAÇÃO
+ aula detalhada e aprofundada desse tema pra quem quer construir um guarda-roupa inteligente pra si mesma no módulo 3 nosso WORKSHOP DE ESTILO PESSOAL
+ mais aprofundamento e mais conhecimento no livro GUIA PRÁTICO DOS TECIDOS, de Maria Helena Daniel, onde a gente também aprendeu demais.