5 ATITUDES SUSTENTÁVEIS (EM MODA)

 

COMPRAR MENOS

Diz que uma pessoa típica compra 70 (!!!) peças de roupa por ano -- é peça nova a cada 5 dias, e significa que a gente re-estoca mais o guarda-roupa do que a geladeira. Antes dos anos 70, que foi quando a roupa manufaturada ficou de fato popular, essa mesma pessoa típica comprava aproximadamente 25 peças de roupa/ano. Todo mundo aqui sabe que compra mais do que precisa e que não usa tudo que tem. E se a revolução começasse pelo nosso acervo pessoal? E se a gente tivesse no armário só o que AMA e efetivamente usa, e exercitasse criatividade pra usar de muitos jeitos diferentes essas roupas? A gente vive a vida com mala, quando viaja e leva as coisas mais legais que tem (alô foto boa de lembrança!), por que então não tentar fazer a vida acontecer com menos?

 

COMPRAR MELHOR

Atitude mais sustentável que se pode ter (em moda) hoje é consumir produtos de qualidade, que durem muito, e com estilo atemporal, que sejam super versáteis. E qualidade não significa preço alto -- mas sim o maior/melhor investimento que se pode fazer levando em conta cada orçamento. Vale observar caimento (no corpo), acabamento (por dentro) e material de que cada peça é feita: melhor escolher os naturais ou as composições que tenham maior quantidade deles (algodão, linho, lã, seda, viscose, rami, modal, tencel, cupro, liocel, bambu) -- a gente checa essa composição na etiqueta interna da roupa, sabe qual? Olhar a etiqueta pra conferir material pode virar hábito: além de ser sustentável garante também conforto e aparência mais elegante, mesmo nas peças mais informais.

 

LAVAR MENOS

Não é se transformar na sujona do bairro, mas sim poupar a peça que possa ser poupada e evitar lavar-a-cada-uso. Vale chegar em casa e pendurar a roupa num cabide, em local ventilado, deixar que ela descanse e dê uma "refrescada" -- se não teve muito suor, se não teve sujeira específica, essa roupa pode ser usada de novo antes da lavagem, não? Tem também receitinhas caseiras de "desodorantes de roupa": vale ter no armário um borrifador com 1/2 de água, 1/4 de álcool, 1/4 de vinagre branco e umas gotinhas da essência que se preferir -- pra borrifar levemente na peça que vai pro cabide antes de voltar pro armário (experimenta!). E super importante: produtos menos abrasivos, mais biodegradáveis, são bons pro mundo e também pras fibras de que nossas roupas são feitas. Dá-lhe água fria e sabão de côco!

 

CUIDAR DO QUE SE TEM

E na medida em que a gente consome qualidade (e investe $ conscientemente nisso), passa a ser natural atentar para a durabilidade e impecabilidade do que a gente tem. A gente passa a organizar visitas periódicas ao sapateiro pra reforçar solados e frentinhas e saltinhos dos sapatos, a gente mantém contato com uma boa costureira pra refazer costuras e por botões de volta no lugar ou recolocar barras na altura devida. Mas né, manutenção vale mais na roupa que vale mais: tecido que se desfaz como papel, costura que já vem desfeita da fábrica ou palmilha de papelão não valem mesmo o cuidado (nem adianta!) -- por isso comprar qualidade é tão importante, assim a gente descarta menos! E qualidade dura ainda mais quando é cuidada com atenção.

 

COMPRAR DE PERTO (E DE PEQUENOS)

Grandes grupos de marcas de moda são controlados por banqueiros que entendem bem do assunto que lhes interessa: o dinheiro (e só ele!). Esses grupos, chamados 'varejistas', tratam roupa como qualquer outro produto: precisam vender e bater metas e fazer mais e mais dinheiro -- e ó, grandessíssima parte desse dinheiro fica com 4 ou 5 banqueiros/acionistas, o restinho que sobra é dividido em bilhões de micropartezinhas pra pagar tooodo mundo que trabalha pro grupo. Comprar de marcas pequenas significa distribuir melhor o nosso dinheiro entre as pessoas envolvidas no negócio (ce sabia que a China é um país meio sem leis trabalhistas?) -- menos peças sendo produzidas (e sendo feitas artesanalmente!), com muito mais atenção e preciosismo. Significa também pagar valor mais justo por material de mais qualidade (qual o sentido de pagar muitíssimo barato por uma roupa que viaja o globo terrestre pra vir do oriente até aqui?não tem milagre, a conta chega pra alguém). E no fim, comprar de pequenos garante mais exclusividade, mais diversidade, mais singularidades valorizadas. :)