MAIS AMOR E AUTOACEITAÇÃO

Aparência é um grande tema já que a gente tá inserida num sistema opressor em relação a isso -- um sistema que quer padronizar e fazer com que todo mundo funcione mais e mais no piloto automático. Pensa: pra roda girar o sistema tem que vender; vende porque a gente compra sem precisar (precisando na verdade de afeto, atenção, apreciação… e não de coisas compradas!); se a gente pensar um minutinho sobre isso, deixa de comprar e vai atrás de fazer acontecer o que é realmente necessário… e o sistema quebra. Então o que a gente quer vestir/parecer/comprar faz parte desse grande tema 'qualidade de vida', em especial pra mulheres interessadas em quebrar paradigmas, a pensar além do piloto automático, querendo reformular/repensar o que dirige nossas direções e escolhas na vida.

takeabreak.jpg

A gente PODE e precisa pensar fora dessa caixa, precisa deixar pra trás padrões vazios de significado pra seguir nossas intuições, olhar pra gente mesma (passar mais tempo consigo mesma, em atenção consigo!) e aprender a discernir o que serve e o que não serve pra gente - e de que jeito, e por que. E olha, a gente aqui não é exemplo: a gente é EXATAMENTE igual a todo mundo em volta e também precisa estar atenta e disponível pra esse exercício de autoconhecimento e confiança!

Por precisar colocar atenção e intenção nesse trabalho, nesse crescimento e nessa "repensação", a gente tá interessada no futuro e no todo -- não no passado ou só na gente mesma. Nosso bem-estar depende do bem estar de quem tá em volta da gente, tamos todas conectadas, e quanto mais envolvimento mais chance de uma nova sensação de bem-estar se estabelecer no nosso universo (não-tão-particular!). Com menos sensação de inadequação, de não-pertencimento -- e com mais respeito pela gente mesma, pela nossa genética e por todas as outras mulheres em volta da gente, por menos julgamento, por mais liberdade de pensar e de vestir e por clareza na autoaceitação.

Nosso desejo pra agora é que todas nós estejamos mais e mais disponíveis em conversas que nos levem pro interno, que a gente participe de discussões de temas que possam ser pensados a partir da gente mesma, que a gente consiga disponibilizar tempo e aprenda a usar ferramentas de autoconhecimento na prática -- e que essa prática leve a gente a se observar no dia-a-dia, com amor, naturalidade, tolerância, e leveza. <3

((E um muitíssimo obrigada - o mais amoroso que a gente tem pra entregar! - por um 2013 tão rico de experiências e amor (!!!) pra Ana Buchaim, Ale Sanchez, Ana Raia, Andre do Val, Cacau Villas Boas, Carol Morais, Clara Prado, Denise Chaer, Diana Assennato, Elisabeth Wajnryt, Flavia Padoveze, Martha Ribas, Nina Wang e Taci Fortunati.))