APRENDENDO COM O LUXO

O Atualuxo é tipo um congresso sobre mercado luxo. Artigos de luxo de verdade. É a segunda edição do evento (a gente falou da primeira aqui), que procura estudar e entender o que é esse mercado, o que fazer pra crescer na área, se tem espaço pra algo tão restrito assim nos tempos de crise. E o que tem a gente com isso? Bom, a graça de tudo é tentar tirar aprendizado pra nossa vida real, seja no meio da vinte-e-cinco, seja nos lugares mais luxuosos. Foram 3 dias de palestras, na semana passada, e as mais legais foram as da consultora e editora Yaffa Assouline, de Frederic Pinel, dono da Pinel et Pinel e do pessoal da Perrier Jöuet.

A Yaffa Assouline é jornalista, dona da Assouline Mídia - que dá consultoria pra um monte de gente do mercado de luxo - e dona também da editora Aussoline, que edita livros e revistas bafos (tipo a revista da Cartier). Na palestra dela, o que mais chamou atenção foi ela contando como os sapatos-desejos do Christian Louboutin são parecidos com os sapatos usados por Luis XIV lá entre os séculos XVII e XVIII. Não é só o fato de ter salto alto não, diz que os sapatos do rei também tinham a inconfundível sola vermelha de Louboutin. Mas ó, diz a palestrante que a sola foi coincidência, será?

queE tem mais, sabe porque o Luis XIV usava tanto salto alto? Além da pose e da altura que o salto dá pra pessoa, o rei se preocupava em valorizar a panturrilha (!), já que ele usava calças curtas e o salto deixava a batata da perna mais bonita. Ele queria dar destaque pra ele mesmo, afinal ele era rei, né? E a moda sempre funcionou como diferenciador da nobreza.

Quanto mais bordado, quanto mais renda, quanto mais trabalho e detalhes tinham na roupa, quanto mais ouro, jóias e brilhos, mais riqueza representava e por consequência, mais nobre era a pessoa. E eles podiam investir muito nas roupas porque elas não mudava a cada estação.

luis

Na palestra do pessoal da Perrier Jöuet, que é uma marca de champanhe bem chique, eles foram falar da relação da marca com a arte. Mas eles acabaram falando tanto da questão do que as pessoas esperam quando compram algo muito caro. Eles acreditam que quando se gasta muito dinheiro em uma coisa, o que se procura é durabilidade e qualidade e essas duas coisas se sobrepõem ao fator tendência. O conteúdo de moda importa, mas procura-se algo que seja mais clássico, que vá funcionar por mais tempo, que sejam o mais atemporais possível. (Lembra da história da volta dos clássicos?)

Outra coisa bacana que teve nessa palestra foi quando eles falaram de como a gente quer se relacionar com a história da marca, quanto mais amarrada tiver esse conto, mais a gente vai querer fazer parte dele. Lembra do último desfile do Reinaldo Lourenço? Ali o café aparecia de um jeito tão bem contado, tinha tanta coisa histórica, com o estilista olhando, pela primeira vez pra dentro do Brasil, que foi sucesso total, né? Todo mundo queria fazer parte dessa história que ele contou, que é tanto da nossa história.

reinaldo

Um ponto bem bom que apareceu também no evento, na palestra do Frederic Pinel foi a diferença de customização  pra o que é feito sob medida. Para o dono da Pinel Pinel – marca que faz malas e caixas feitas sob medida – customizar não é luxo de verdade. Por que por mais que você escolha a cor da alça da sua bolsa, ou possa colocar suas iniciais nela, a produção continua em séria. Tem uma individualização do produto, mas quem compra tem que criar com o que já tem pronto, cores pré-determinadas, tamanhos, tipos, nada é feito exclusivamente pra ninguém.

pinel Daí, o Pinel acredita que só o sob medida é luxo de verdade. Para ele o trabalho dele é criar a mala ou caixa dos sonhos do cliente. Ele tem que conhecer o que o cliente quer e com seus conhecimentos técnicos transformar a vontade/sonho/desejo do cliente em realidade. Às vezes é difícil pensar nesse luxo e nesse sonho em forma de mala ou caixa, mas transportando pra uma realidade mais próxima, é só pensar em vestido de noiva. Toda noiva tem um vestido dos sonhos, e a maior vontade das noivinhas é conseguir alguém que consiga realizar esse sonho em forma de linhas, tecidos e bordados, ou seja, no vestido perfeito.