CHARME DE TARTARUGA

Tempos atrás (tipo na Renascença!) os cascos das tartarugas eram usados em decoração, como moldura de quadros, consjuntos de chá e caixas de jóias - começou essa onda na China e no Japão e foi se espalhando pelo mundo todo. Virou uma moda, alçançou a própria moda (!!!) e enfeites de cabelo também foram produzidos a rodo com os cascos das pobrezinhas. Mas né, uma hora perceberam que era muito enfeite pra pouca tartaruga, e quando começou-se a falar em possível extinção uma alternativa foi inventada - e essa é a tartaruga que a gente usa hoje!

O "design" do casco da tartaruga foi reproduzido em vários tipos de plástico com a mesma mescla de marrom, preto e um castanho meio alaranjado - tem em plástico duro, acrílico, plástico maleável e em versões translúcidas também. Já nas décadas de 20 e 30 armações de óculos eram feitas com essa tartaruga 'ecológica' - diz que daí até a década de 50 os óculos e tudo mais de tartaruga virou febre, muito por conta dos precitos amigos com que eram comercializados (plástico até hoje é baratinho, né). O material popularizou no bom sentido e até hoje rende coordenações meio retrô, meio elegantes, meio inusitadas - sempre muito legais.

A melhor parte é que, por ser feito em cores neutras, acessórios e detalhes em tartaruga cabem em quase todas as coordenações de cores do universo - e só acrescentam interessância sem chocar ou contrastar demais. Bem um "charme de tartaruga" mesmo (haha!), que não chega-chegando mas que devagarzinho faz uma diferença boa. Imagina detalhes em tartaruga junto com marinho, com branco, com caramelo, com vinho, com roxo, com lilás, com verdão... e essas cores valem pra coordenações de roupas e de sapatos e bolsas também!