"COMO SE VESTIR PARA O SUCESSO"

Que a gente deve se vestir de acordo com nosso tipo físico é senso comum, todo mundo sabe disso. Acontece que a coisa mais fácil do mundo inteiro é uma pessoa se enganar sobre seu próprio biotipo. Edith Head - estilista americana dos anos de 1960 vencedora de oito Oscars de melhor figurino - já sabia disso, por isso, ela encomendava moldes de tecido retratando o corpo de cada atriz que precisava vestir. Assim - olhando para os moldes sem cabeça nem charme - ela conseguia avaliar friamente a situação, sem se deixar enganar pelo rosto e pelas roupas da atriz. Em seu livro “How To Dress For Success”, Edith passa uma dica para nós, mortais que não podemos ter um manequim de pano com as nossas medidas: decalque sua própria silhueta em um pedaço grande de papel metro. Para isso, basta colar o papel na parede, ficar encostada nele e pedir para alguém acompanhar o contorno do seu corpo com um giz de cera. Deixe o desenho colado no seu armário ou dobradinho em uma gaveta de fácil acesso caso seu espaço seja mínimo. A ideia é que esse desenho te ajude a manter o foco e se vestir para o corpo que você realmente tem, não para aquele que você acha que tem a depender do seu humor.

Outra dica do livro é manter uma listinha com seus pontos fortes e fracos presa no espelho, além de pequenos lembretes para você mesma como “ei, você tem pernas lindas, trate de mostrá-las!” ou “seus braços são gordinhos, que tal usar uma terceira peça?”. Imagina que engraçado abrir o armário e dar de cara com esse tipo de diálogo consigo mesma?!

Uma estratégia que podemos adicionar em tempos de banalização da fotografia é a seguinte: sempre que você se sentir muito bem ou muito mal com uma roupa, tire uma foto e guarde. Deixe a imagem salva no seu telefone, faça uma pastinha “erros” e outra “acertos” e consulte em caso de dúvida. Em algum momento você vai conseguir estabelecer um padrão para seus erros e acertos. Quando isso acontecer, anote o que aprendeu num post-it e prenda no armário.

“How To Dress For Success”, livro de onde tiramos algumas das dicas desse post, é hilário e custa uma pechincha na Amazon. Além de fazer o gênero “amiga sincera que te passa a real”, Edith é engraçada e sempre muito prática. Por ter sido escrito em 1967, o livro ainda traz curiosidades sobre uma época em que as mulheres estavam divididas entre as que queriam filhos, casamentos e reconhecimento em clubes privados e as que queriam mais era empurrar o chefe de sua cadeira e ocupar o lugar que mereciam. Imagina ter que ensinar esses dois perfis completamente opostos de mulher a se vestirem para ter sucesso (quer conceito mais íntimo e mutável que sucesso?).

Sem querer, Edith Head nos dá várias lições de história e feminismo nesse livrinho que ensina uma coisa simples: para ter sucesso na hora de se vestir você precisa saber muito bem quem você é e quem você quer ser.

*Juliana Cunha é jornalista e colaboradora do blog da Oficina de Estilo, que sorte a nossa :) ce pode ler outros textos dela pra Oficina aqui -- e os textos autorais dela no Já Matei Por Menos, ó!