BIRKIN BAG: DA CESTA PRO DESEJO

Daí um dia a Jane Birkin sentou do lado de Jean Louis Dumas, filho do Hermés "original", num avião. Durante a viagem Jean Louis perguntou pra Jane Birkin porque ela, sendo mulher inteligente bonitona chamando atenção da mídia naquele momento, não usava bolsas da Hermés. Jane respondeu que curtia coisas mais práticas e que gostava mais de usar cestas (oi?) do que bolsas, geralmente muito pequeñas pra carregar suas coisas. Ele se ofereceu pra criar um modelo pra ela. Pensou, desenhou, montou um protótipo e mostrou pra Jane Birkin - que não só amou mas adotou a bolsa pra vida. E cedeu seu nome pro produto! birkin480

E se a gente olhar com atenção, a bolsa top desejo no mundo todo lembra bem uma cestona: tem duas alças, tem abertura farta, cresce pros lados e é maleável, com cara de que dura pra sempre (e dura). Desejo com funcionalidade e identidade - e uma relação próxima da inspiração como poucas coisas na moda. A bolsa foi criada há mais de 20 anos e continua sendo disputada em listas de espera, mesmo com preço mais nas alturas do que o avião em que foi primeiro imaginada.

E se a gente não pode ter uma Birkin, o próprio site da Hermés disponibilizou, tempos atrás, bolsinhas Kelly de imprimir, recortar e montar em casa. A gente já tem as nossas e agora você pode ter também - vamos fazer uma galeria com fotos dos brinquedinhos prontos?!?? Clica aqui, aqui, aqui e aqui pra "abaixar" as quatro versões da mini-Kelly, umas graças. ;-)