"LEITURA DE IMAGENS" COM TAYLOR E MARIAH

Nos dois clipes desse post a gente consegue separar "bem" de "mal" através de cores. Nos dois tem mocinha e vilã interpretada por uma mesma cantora, dos dois jeitos diferenciada pelo tom do cabelo. Adivinha? A boa é sempre loira e a má é sempre morenona. O que faz a gente pensar em claro e escuro como valores antagônicos - e esquecer que, pra tudo na vida, vale pensar mais do que só em cores. Já clica aqui embaixo pra ir ouvindo musiquinha e "vem comeego", como diz a Katylene.

A gente assoscia, nos dois clipes, cabelo loiro (claro) com bem e cabelo castanho (escuro) com "mal". É percepção de cor clara como mais doce, mais calma, mais delicada, mais frágil até; e de cor escura como mais rígida, mais fechada, mais forte. Mas né, esse impacto é causado por um elemento só: a cor. E tudo no mundo (roupa, casa, carro, caderno, acessório, arte) tem mais do que só cor! Tem forma, superfície, detalhes e mais. Isso tudo é o que "dá a leitura" das características de qualquer coisa pra gente, e o conjunto de características dessa 'coisa' é o que faz a gente identificar estilo. Pensa num look: o que diz pra gente um pouquinho de quem tá usando aquelas peças não é só a cor do visual, mas também de que formas ele é composto, de que maneira foi coordenado, que tipo de detalhes tem, como são as superfícies.

E aí, pensa só: forma pode ser arredondada ou mais reta; detalhes podem ser suaves ou pontudos, angulares; superfícies podem ser lisas e gostosas de passar a mão ou ásperas e estruturadas; tecidos podem cair molinhos ou podem ser super duros... e cada elemento diz alguma coisa sobre o todo. E o todo a gente "lê" juntando todas essas informações, agrupando características, percebendo mais ou menos quantidades de um ou outro significado. Meio que entendendo peça por peça de um quebra-cabeça pra que a imagem pronta, montadinha, faça mais sentido!