LIÇÕES DE PROFISSÃO COM CAMILA YAHN

A gente é muito muito fã da Camila Yahn desde sempre - o trabalho dela é referência aqui desde o comecinho do site da Erika Palomino. Hoje a Camila escreve pra Folha de SP (e pra revistas bafo) e é a idealizadora/fazedora do Pense Moda, evento mais legal de discussão do meio e do mercado que a gente tem aqui no BR. Precisa acreditar muito e ter muita vontade de contribuir pra investir tempo e esforço num projetão desse viu. E a Camila investe, e recebe o bem de volta (merece!). Olha quanta coisa legal ela divide na entrevistinha que segue - de anjos da guarda, de experiências, de aprender com tudo em volta, de conselhos sabidos e mais. camiyahn480

COMO COMEÇOU?

Eu já era "amiga de noite" de umas pessoas da moda e também assistia a alguns desfiles, ainda no phytoervas e morumbi fashion. Mas comecei mesmo a ter a moda como profissão com a Erika Palomino, que era uma amiga de noite. Eu trabalhava como booker de DJs top e um deles era o Felipe Venancio. Um dia o telefone tocou no escritório e era a Erika perguntando se eu queria trabalhar com ela.

Meu primeiro dia já foi na Folha, durante o fechamento da coluna que ela tinha na época. Na época eu já me interessava por moda e conhecia um monte de gente, mas na prática, não sabia de muita coisa também. Um dia ela pediu para eu ligar para a Tania Otranto. E eu fui correndo para a mãe dela e falei: “a Erika pediu para eu ligar para uma Tania sei lá o que anto…”. Eu não queria mostrar para Palomas que não sabia, então a mãe dela foi meu anjo da guarda no início. Tive sorte de começar com ela, que sempre foi muito paciente e deu o tempo que eu precisei para pegar tudo e aprender.

O QUE ESTUDOU E O QUE ACHA MAIS IMPORTANTE ESTUDAR?

Estudei Artes Cênicas. Sempre fui uma apaixonada pela carreira de atriz e, na época, mais jovem, era meio radical, contra a Globo e a favor do teatro independente! Ao todo, estudei 10 anos, contando com um ano e meio num curso inesquecível que fiz em Londres. Como no teatro a gente aprofunda e trabalha com questões mais humanas, com a compreensão de diversas emoções, isso me deu muita base para entender as pessoas, para saber que o respeito é fundamental em qualquer circunstância. O trabalho com o teatro, para mim, leva nossa arrogância, nossa prepotência embora, já que você é despido em todos os sentidos na frente das pessoas. O resto aprendi trabalhando.

Não sei se acho uma faculdade de moda fundamental hoje. É legal para ter uma base e um aprendizado mais técnico, mas o fundamental mesmo é ler, ver filmes (e eu não estou falando de blockbusters aqui…), ir a exposições, estudar sobre um autor, artista ou diretor que você gosta, estar atento a tudo e a todos e ser humilde a ponto de achar que as pessoas sempre podem te ensinar mais um pouco.

QUANTO TEMPO LEVOU PRA ‘DAR CERTO’ (FINANCEIRAMENTE)? Quando eu trabalhava fixo, eu não ganhava muito, mas ganhava outras coisas, outros conhecimentos e regalias que também viram moeda. Por exemplo, nunca precisei pagar para ir a show, festival, mostra de cinema, festas, clubes, etc… Comecei a ganhar dinheiro mesmo quando fiquei independente e pude me envolver com diversos projetos de pessoas diferentes.

Quanto mais informação de vida e profissional você tiver, quanto mais qualificada for, melhor. E manter bons contatos também ajuda.

O QUE MAIS AMA NO TRABALHO COM MODA? Estar sempre perto de pessoas criativas e fazer um trabalho diferente a cada dia.

O QUE MENOS CURTE NO TRABALHO COM MODA? Conviver com quem acredita no hype.

QUE APRENDIZADO PODE DIVIDIR, EM FORMA DE CONSELHO, COM QUEM QUER SE AVENTURAR PELO MUNDO PROFISSIONAL DA MODA? Pense moda. Não se intimide por quem for maior que você. Seja humilde para aprender sempre. Estude. Leia. Não tenha preguiça. Tente de novo.

Contnuando nossa série tem entrevista com a Natalie Valili, assossora de imprensa de marcas na MKTMix. E na sequência tem mais!!!