MODA PRA VIDA REAL

Eu to em crise com a moda. Com o mundo da moda, mais especificamente. É o nosso trabalho, claro, mas tem uma hora que é tanta roupa, tanto look, tanta vitrine, tanta "tendência", taaaanta coisa... que cansa. Não tem como não se vestir, não dá pra sair pelada de casa - e ninguém quer sair feiosa. A gente é obrigada a se vestir e ainda quer estar bacana, se interessa, lê blogs (!!!), folheia revistas e tals. É pela gente mesmo, mas presta atenção se quase sempre também não é pela roupa: a peça que encantou na arara e que foi pra casa com a gente sempre requer atenção, precisa ser coordenada, tem que dar certo com aquele outro acessório. A gente ama a roupa e faz ela acontecer, de um jeito ou de outro. Mas ó: é legal também se vestir pra vida. Menos pela roupa em si e mais pra viver dentro dela alguma coisa muito, muito, muito mais legal. modapravida

Eu tenho pensado nisso a cada olhada em frente ao espelho, especialmente de umas semanas pra cá. Eu amo tudo que tenho no armário, mas to amando mais levar as roupas pra passear comigo pela vida - e não o contrário! Não tenho tido vontade de vestir pra "desfilar", mas tenho tido vontade de fazer com que cada peça participe de alguma coisa tão especial na vida que carregue a lembrança. E tem sido um exercício tão querido! Pensa só: escolher o que usar quando vai àquela exposição que dá vontade de ver há tempos, escolher o que usar no jantar com os amigos no meio da semana, escolher o que vestir pra encontrar gente importante (importante assim, pro coração!). No lugar de pensar "essa roupa é incrível" eu tenho pensado "essa roupa merece viver esse momento comigo". E tá me servindo de guia até na hora de comprar: to indo pro caixa menos pela peça e mais pela vida que eu vou viver dentro dela.

E sabe o que acontece? A moda passa a ser uma coadjuvante-melhor-amiga, cumprindo o papel que tem que cumprir: o de companheira e não de personagem principal - essa tem que ser eu, você, todo mundo. Né?!??