muitos colarzinhos no lugar de um colarzão

Usar mais de um colar ao mesmo tempo não é novidade nenhuma, mas sempre é legal. Em tempos de maxi-colar, quem não quer seguir a tendência ao pé da letra pode prestar atenção ao que essa tendência significa e se arrumar do jeito que preferir - o principal elemento da onda dos colares grandões é a atenção ao colo, com o acessório "principal" da produção bem pertinho do rosto. Então, dois ou mais colares fininhos e delicados cumprem esse papel (o de preencher o colo e chamar atenção pro rosto). Vários pingentes juntos numa mesma correntinha também. Colares fininhos e bem diferentes também. Correntinhas coordenadas em comprimenos diferentes também. Sabe como?!?? fininhos_e_curtos

Vale coordenar formas e formatos. Corretinhas mais retas com outras de aros redondos; colares arredondados com outros em que o pingente pesa e forma um V; contas angulares com outras bem redondinhas. Mistura de materiais também dá super certo: pode combinar pérolas com continhas de turquesa, pode coordenar metais com materiais naturais, pode juntar cristais com plaquinhas de acrílico. O equilíbrio a gente alcança na "quantidade" de material que se vê: se o metal super chama mais atenção, então as pérolas podem ser pequeninas. Se a combinação é feita com dois colares diferentes de pérola, então um de cristais coloridos, menorzinho, pode ser acrescentado pra balancear o look. Vale ainda misturar temas: se a produção fica muito fofucha, um pingente mais rocker, tipo uma caveirinha (!!!), pode ser um bom par pros outros colares - o contrário também vale: se o colar tem formas de tachinha, com continhas pontudas e mais pesadas, vale acrescentar uns coraçõezinhos e laços. Tudo depende da personalidade de quem usa!

maiorzinhos

A maior sacada na hora de coordenar dois ou mais colares é a coordenação dos comprimentos. Pra usar tudo curtinho, pertinho do pescoço, é bom que as correntes sejam diferentes e que os pingentes tenham volumes que não se sobreponham demais, sabe? Se os comprimentos forem diferentes, os colares podem até ser iguaizinhos - comprimentos diferentes dão um 'movimento' ao look que já carrega uma interessância em si, talvez por isso todo mundo goste tanto de voltas e voltas de pérolas! Com comprimentos iguais ou diferentes, a gente pode prestar atenção nos decotes que usa: os colarzinhos coordenados podem preencher o colo (direto na pele mesmo!) ou podem emoldurar a roupa que a gente escolhe; podem fazer às vezes da gola ou podem emoldurar o decote da peça. E com tamanhos diferentes o foco pode ficar mais pra cima ou mais pra baixo - mais perto do pescoço ou mais sobre os seios. A gente é quem escolhe pr aonde que chamar mais atenção. E aí é só contar uns dois dedinhos de distância de um pingente pro outro e usar (não é regra, é sugestão!). Um bom jeito de começar é coordenando os colares sempre em quantidade ímpar: tendo mais de dois, não tem como não equilibrar materiais, comprimentos, formas e temas, entende? Sempre vai ter alguém em menor quantidade, nunca dá empate.

fininhos_e_longos

Vale também usar a quantidade ímpar pra coordenar as características dos colares com os outros acessórios - se os colares são dourados, o brinquinho pode ser prateado. Se dois colares são dourados, um outro é prateado e o brinco também é prateado, vale acrescentar um anel dourado ou prateado (pra desempatar!). Um elemento tem que se destacar claramente em relação aos outros! E quanto mais materiais formas temas comprimentos a gente acrescentar, mais interessante a combinação fica - mais "elementos de leitura fashion" a gente fornece pra serem lidos por quem vê a gente. Essa é a parte mais legal. E todo mundo pode: quem quer desviar atenção da parte de baixo (quadril maior), coordena um monte de colarzões coloridos. Quem tem a parte de cima do corpo mais larga (ombrão, peitinhos, braços cheios) pode deixar mais pele à mostra, combinar correntinhas finas juntas, encher os colares de ingentinhos (que puxem o olhar pro centro do corpo!) e sair feliz também.