NOSSA VIDA MUDA, NOSSO ARMÁRIO MUDA

Não é num esquema dia-sim-dia-não, mas vira e mexe acontece alguma mudança grande na nossa vida. Ou uma transição que afeta tudo no nosso dia-a-dia, inclusive (às vezes principalmente!), o nosso armário. Pode ser um trabalho novo, uma cidade nova, uma idade nova... Enfim, mudanças de armário quase sempre são reflexo de uma fase nova da vida. roupas

E na hora de rearrumar tudo é que bate aquele aperto. O que fazer com um tanto de roupa que já significou tanto, mas agora não tem mais o uso que merece ter? Deixar de ficar apegada demais é quase impossível. Mas deixar o armário cheio demais, confuso, ajuda a aumentar a bagunça e é sempre bom abrir espaço na nossa vida, né? E olha que é vivência própria, viu? Só de ter que ir e vir muito de uma cidade pra outra e de ter acabado de formar, comecei a repensar e relativizar tudo que tem no meu armário.

Quando a gente se forma (na faculdade) é quase um atestado de “ok, sou adulta, e agora?!”. É (quase) tudo sobre se adequar às novas necessidades, sem perder nossa essência, claro. Mas que tal todo mundo pensar um pouquinho no que a gente precisa, quer e vai usar de verdade? Exercício de desafogar o armário e abrir espaço pra coisas (e roupas!) novas não faz mal a ninguém.