OS ZÍPERES DA JULIANA JABOUR (E MAIS)

Super legal quando uma coisa funcional deixa de ter o seu propósito primordial pra ser só beleza. Tipo relógio que em vez de só mostrar hora também enfeita como um bracelete, tipo botão que deixa de só juntar dois lados de blusa pra servir de broche, tipo tiaras e grampinhos que nem precisam segurar o cabelo pra acrescentarem sua graça a quem usa. No desfile da Juliana Jabour os zíperes não tinham função de abrir/fechar... eles viraram acessório! jabour480

As modelos usaram chapeuzinhos decorados com zíperes em listras e em flores. E o metal do zíper pode ser um substituto pras tachas, né? Tipo roqueiras mas menos agressivas (lembra?), que esse metal já vem "moldado" numa forma feminina (a da florzinha!). As flores metálicas também apareceram "despetaladas" nas mangas de blusas e vestidos, formando um babado/balanço estruturado nos tecidos molinhos. Então o zíper rende flores broches tiaras mangas babados e mais - alô Superziper, vai ter passo-a-passo?!?? ;-)

jabour478

Extra: a transição do Juliana Jabour - que sempre trabalhou com viscolycra e tem feito mais looks em tecidos planos - tá super linda e bem sucedida. Dá impressão que o exercício de ser original e criar formas num tecido super desestruturado (quase disforme!) rendeu expertise pra moldar volumes lindos nos tecidos "mais propícios". Sobra até idéia pra uma lição-de-auto-estima, pra gente lembrar que o 'difícil' serve pra exercitar direitinho o que vai fazer a gente brilhar quando o 'fácil' vier!