RESENHA DE DESFILE... PRA CEGOS

Em tempos de semanas de moda a gente vê fotos de todos os looks das passarelas, muitas vezes até dos detalhes. Se as imagens estão disponíveis, os textos que acompanham essas imagens podem entregar alguma coisa a mais, não? Resenha de desfile que descreve look por look, roupa por roupa, não vale. Em outros tempos, textos (só) descritivos faziam sentido: nem todo mundo tinha acesso às imagens dos desfiles, as revistas demoravam meses pra publicar e tals. Descrever era útil. ERA. Com internet, com blogs, com twitter, com TV e com todo mundo super mais interessado em moda – com livre acesso à mil imagens de tudo! – a gente quer ler e conhecer mais. ceguinha

Do mesmo jeito que coleções podem ensinar, resenhas de desfiles podem ter função de professor: a de traduzir a informação da roupa pro entendimento da maioria, leiga ou não no assunto. Fazer com que a moda signifique mais do que só roupa. Não ia ser incrível se textos de desfiles trouxessem elementos relacionáveis com história, decifrassem pesquisas de referências, mostrassem contexto com tempo e espaço, acrescentassem informação e insights sobre o que a gente vê nas fotos? Resenhas feitas com opinião sem afetação, dizendo se as coisas funcionam ou não – independente se são do gosto de quem tá escrevendo. Mundo-da-moda-dos-sonhos!

Fica a dica pra todo mundo que cobre semanas de moda, inclusive pra gente. É mais difícil, não tem espaço pra preguiça, mas todo mundo ganha. Bora fazer nosso dever de casa e entregar inteligência. ;-)