SAPATILHA RESERVA

Sapatilha dobrável que fica num cantinho escondido da bolsa, da gaveta do trabalho ou do porta-luvas, só esperando um pé cansado para ser desdobrada. Tem como não amar? O modelo de sapatilha que nasceu como sapato reserva já virou produto principal de algumas marcas de calçado. Esse é o caso da Anacapri, marca da Arezzo que só vende sapato sem salto, e da Ballasox, marca gaúcha da CC Corso Como. Outras marcas, como a Mr. Cat e a 284, também têm modelos bem legais dessa sapatilha.

A melhor parte é que o preço é sempre amigável: rondamos todas essas lojas e não encontramos nenhuma acima de R$ 190. A mais barata custava R$ 80.

Essas sapatilhas são maleáveis, com solado de borracha e um forro de elastano que mais parece uma meia. Quando não estão sendo usadas, você dobra todinha e coloca num saquinho.

Na nossa opinião, a sapatilha-meia é salva-vidas nas seguintes situações:

- dia de chuva, quando a gente quer usar sapato de plástico para poder molhar, mas não quer usar o mesmo sapato no trabalho - na hora de dirigir - quando quiser alternar com o salto durante o dia - no dia em que for caminhar com sapato desconfortável - pra usar na casa da amiga que pede que a gente tire o sapato na entrada e oferece um Crocs coletivo pouco convidativo como alternativa.

Para as preguiçosas que se recusam a sair da frente do computador sem esse sapato maravilhoso, o site da Ballasox tem um milhão de modelos sendo vendidos pela internet.

*Juliana Cunha é jornalista e colaboradora do blog da Oficina de Estilo, que sorte a nossa :) ce pode ler outros textos dela pra Oficina aqui -- e os textos autorais dela no Já Matei Por Menos, ó!