TAPETE VERMELHO PRA SONHAR E EVOLUIR

Passarela de coleções de meia-estação entregam o que tá pronto pra usar; desfiles de pret-a-porter mostram o que vai ser desdobrado em araras de loja; coleções de alta-costura oferecem idéias e conceitos que quase ninguém pode ter literalmente (alô imaginação pra diluir essas idéias pra vida real!). Mas cinema e TV oferecem sonho e fantasia em forma de moda - ou pelo menos deveria ser assim. E quem tá no cinema ou na TV devia ser obrigada a entregar pra gente o inalcançável, o extraordinário, o que só quem é desse mundo de sonho pode usar. Ó que exemplo super ótimo o da January Jones aqui embaixo:

Então tapete vermelho de festona de cinema e de TV devia ser desfile de luxo de glamour de extravagância de muito tecido e de muita jóia - e não tem sido assim (oi, emmy awards). Porque né, madrinha de casamento todo mundo pode ser, mas ser estrela de cinema ou de TV é pra poucas/poquíssimas- e por isso mesmo essas estrelas deveriam ter obrigação de usar looks dignos de transportar a gente pra muuuito além de vitrines de shopping. Tapete vermelho não é passarela, que oferece o que a gente pode ter no armário com facilidade, e estrela de cinema/TV tem que vestir SONHO pra levar a gente pra mais perto desse universo em que "tudo é possível" - pra que a gente tenha, então, combustível pra evoluir em estilo pessoal.

Se todo mundo faz/veste o fácil, a roda (da moda) pára de girar. Se não tem ninguém perto da gente - mesmo na TV! - pra ousar um pouquinho aqui e ali, fica mais e mais difícil da gente mesma sentir vontade de ultrapassar qualquer zona de conforto. Vale no macro e também no entorno: se a gente ousa no look, nem que seja um pouquinho, acaba incentivando mais gente a ousar também - e todo mundo vai ficando/se vestindo mais e mais 'interessantemente'. Então a gente podia dar exemplo praas estrelas de cinema e de TV - que tão fraquinhas fraquinhas no quesito ousadia - e começar o trabalho daqui de baixo da pirâmide-hierárquica-fashion, não? Vamos todas? :)