CONSERTAR PRA DURAR (E EMPODERAR!)

Em todo trabalho de consultoria de estilo a gente presta atenção nessa listona de itens — e esse “repasse de possibilidades de estender vida útil das coisas” invariavelmente rende aprendizado no sapateiro do bairro, na lojinha de conserto de bijús da alameda de serviços do shopping, na costureira da família. Ó!

Não tá faltando roupa ou acessório — nem nos nossos armários e nem no mundo. A gente tem tudo sobrando: o que pode estar faltando é um olhar apreciativo pras nossas coisas. E respirar fundo pra praticar continuidade, persistência, não-descarte-descartável-demais. Que nem na vida, né? Não adianta querer jogar fora e comprar outra, a gente tem que seguir arrumando, ajeitando, ajustando… e assim a gente vai crescendo.

Consertar nossas coisas pode ser, então, uma boa prática não só pro guarda-roupa, mas pra experiência humana. <3

alfinetes.jpg

DE OLHO NOS SAPATOS

  • base de borracha no salto que desgasta até chegar no prego pode ser substituída por novas bases
  • calcanhar comido por conta da embreagem ou de desgaste pode ser lixado e re-pintado
  • frente arranhada/desgastada pode ser 100% recuperada, refeita
  • sola desgastada na parte da frente do sapato, logo embaixo dos dedinhos, pode ser substituída por uma nova só nesse pedaço
  • pintura desgastada/desbotada pode ser refeita
  • fivelas e cordinhas de amarrar podem ser trocadas por novas
  • camurças podem ser escovadas de tempos em tempos
  • todo sapato pode ganhar todo um novo viço com uma boa engraxada ;-)

NA CAIXINHA DE BIJÚS

  • dá pra trocar fechos
  • dá pra re-conectar argolas que eventualmente se desconectaram
  • dá pra polir ou passar as pratas em misturinhas clareadoras (a gente AMA essa daqui)
  • tem paninhos de limpeza de metais que a gente pode ter em casa
  • é possível comprar tarraxas extra pra repor as perdidas
  • é possível dar banho de prata e de ouro pra reviver coisinhas cheias de valor
  • é possível juntar ouros antigos e pedras soltas e reciclar ou reformar em forma de novas peças (tem uma joalheira que faz isso aqui em SP, ó!)

ATENÇÃO NOS CABIDES E GAVETAS

  • pequenos furos/rasgos podem ser cerzidos, até em cores diferentes pra gente exibir esse conserto com orgulho <3
  • botões podem ser recolocados ou trocados
  • costuras podem ser reforçadas, recosturadas, refeitas
  • papa-bolinhas, pentes de aço (tipo o d-fuzz-it importado) ou giletes podem passear pelos tricôs de tempos em tempos
  • pregas podem ganhar alinhavos bem largos antes de lavar, pra não deformar o plissado
  • roupa pode ser ajustada (por costureira ou por quem se disponibiliza! aqui tem um roteirão de onde aprender a costurar em SP)
  • barra pode ser refeita, até em novas alturas, se for o caso de atualizar ;-)
  • manchas podem ser tiradas em casa, com carinho e produtos especiais, ou em lavanderias especializadas (alô sovaquinhos amarelados, alô pingos de gordura)
  • lavanderia também serve pra refrescar “cheiro de guardado”, nénão?

Essas são as pequenas manutenções de dia-a-dia que a gente conhece e exercita, mas certamente não são as únicas: quais outras rolam aí com você? Compartilha com a gente nos comentários! \o/

Pra terminar, pra ter em mente: saiu da loja, não vai permanecer igual, com a mesma carinha de novo, por muito tempo. Pra sempre a partir dessa saída quaisquer itens do nosso armário já tem cara de nossos, de não-novíssimos: bom é a gente se apropriar dessa cara e assumir o desgaste natural das coisas como parte do valor — só o que a gente usa bastante é que fica gasto, né? Então esse desgaste faz parte da história das roupas e não é motivo pra descarte num primeiro momento, é disso que a gente tá falando. (Sobre a hora de descartar MESMO -que uma hora chega!- tem post aqui no blog e ebook com muitas soluções, ó!)

+ MAIS POSTS SOBRE MANUTENÇÃO E CUIDADOS AQUI NO BLOG
NOSSA AGENDA DE FORNECEDORES E SERVIÇOS COMPLEMENTARES