DRESSCODE PROFISSIONAL DEFINIDO PELO CONFORTO

Tempos atrás, em junho de 2012, o Alexandre Herchcovitch convidou a gente pra conversar sobre os 'códigos de vestir do ambiente profissional formal' com um grupo de profissionais do escritório de advogados com que ele trabalha desde sempre. Foi então que a gente resolveu pensar numa maneira clara e eficaz de transmitir idéias de adequação de acordo com quem a gente é e com a vida que a gente vive. Na real, de verdade.

Já que feio e bonito são definições feitas 100% subjetivamente e que "pode" e "não pode" é super antigo, pode ser bem inteligente enxergar o que é importante de verdade e escolher o que vestir pensando em se valorizar e valorizar o trabalho. Direção certeira pra todo dresscode/código de vestir pode ser o CONFORTO, em três versões: conforto pessoal, conforto do outro e conforto da empresa/do trabalho. A gente explica, ó.

CONFORTO PESSOAL

Código de vestir que toma por direção o conforto pessoal aceita todo tipo de roupa que proporciona conforto físico, de sentir mesmo. Roupa que permite sentar e levantar sem que a gente precise se ajeitar o tempo todo, roupa que não restringe movimentos (alô curtos e justos demais), roupa que permita a gente dobrar os braços pra segurar pastas, buscar coisas no alto sem mostrar a barriga, andar uns quarteirões na hora do almoço ou pegar o transporte com tranquilidade. Se trabalhar é o que a gente mais faz na vida toda, então roupa de trabalho não pode machucar, pinicar, tirar atenção do que a gente tem que fazer. Tecidos naturais e caimentos soltinhos, que acompanham a silhueta sem grudar, podem ser boas pedidas. Roupa de trabalho tem que deixar a gente à vontade pra viver a melhor vida que a gente pode viver enquanto ganha dindin.

CONFORTO DO OUTRO

Falando em não tirar atenção, o 'conforto do outro' é direção sutil-mas-eficaz pra definir o que cabe e o que não cabe em códigos de vestir, especialmente nos mais formais. Se o que a gente usa interefere de algum jeito na zona de conforto (visual/sensorial/intelectual) de quem tá junto com a gente no trabalho, então não rola usar. Mesmo! Pensa no que constrange ou faz com que o outro se desligue do que tá fazendo: decotes exagerados, cabelo descontrolado, corpo demasiadamente delineado, perfume cheiroso demais da conta, bolsa super estufada ou bagunçada, pulseiras e sapatos que fazem barulho, maquiagem espalhafatosa (qualquer idéia espalhafatosa, de repente até coordenações de cores super extravagantes, dependendo do trabalho!), alça de sutiã que insiste em aparecer e afins. Sabe? Tem aqui uma listona de sabotadores de aparência pra garantir esse checklist aí, ó.

CONFORTO DA EMPRESA

Todo-qualquer contratante tem expectativa em relação a como cada funcionário/prestador de serviço representa a empresa. Vale estudar valores e missões dos lugares em que a gente trabalha, assim como observar com olhar crítico e estético os clientes que a empresa atende. O que a empresa/o contratante vende? Pra quem? A gente tem aparência pessoal coerente com a imagem que a empresa quer projetar? Tem uma direção geral a ser seguida de acordo com os valores da empresa -- conservadora, moderna, sustentável, comprometida -- que pode ser personalizada pra se adequar a quem a gente é? Especialmente quando a gente vende serviço, o produto passa a ser a gente mesma. Vale alinhar expectativas, ter em mente o que a empresa quer da aparência de quem trabalha junto e então encontrar como esses valores podem aparecer no guarda-roupa profissional.

confortodresscodal

A gente vive num tempo de olhar pra dentro pra buscar referências (de tudo!) e não pra fora. Não tá mais em época de se considerar qualquer bobagem que tenha a ver com certo-ou-errado, especialmente no vestir. Levando em conta conforto pessoal, conforto do outro e deixando também o próprio contratante confortável, é possível ser mais e mais a gente mesma. E além desses "limites" confortáveis a gente ainda pode escolher cores, texturas, caimentos, tecidos, sapatos, bolsas e acessórios (benditos personalizadores de aparência profissional!) que garantam coerência e consistência.

MAIS DE CÓDIGOS DE VESTIR