FAXINA DE GUARDA-ROUPA

Tempos atrás a gente colaborou com uma matéria pro portal Terra e o texto rendeu 12 boas e verdadeiras dicas pra fazer aquela faxinooooona no armário. Além de ser uma delícia abrir espaço físico (e mental!) no próprio guarda-roupa, cada vez mais a gente comprova no trabalho de consultoria de estilo que ninguém precisa de tanta coisa, viu. E que com mais qualidade e menos quantidade a gente rende mais -- em tempo de se arrumar, em satisfação em frente ao espelho, em inteligência ao gastar do dindin que a gente ganha. A matéria do tá transcrita (e um pouquinho adaptada) aqui embaixo, ó!

dicas certeiras pra fazer aquela faxina no guarda-roupa e abrir espaço (físico e mental) na vida toda.
dicas certeiras pra fazer aquela faxina no guarda-roupa e abrir espaço (físico e mental) na vida toda.

1. Promessa boa de fazer pra gente mesma é essa: a cada peça nova que entrar no guarda-roupa, uma velha pode ser doada, vendida ou trocada. Assim entra ano, sai ano e o armário permanece ventilado, sem abarrotar.

2. Não usou aquela blusa ou saia no verão passado? Tem uma chance grandessíssima de não usar neste também. Então ó, a peça pode sair do guarda-roupa – e da vida.

3. Tipicamente faz mais mal do que bem estocar roupas pra se usar um dia: quando perder peso, quando isso ou aquilo acontecer. A gente aqui pensa sempre que, mesmo com quilos a menos (ou em qualquer outro tempo que não o presente) o corpo da gente muda Mesmo com alguns quilos a menos, o corpo vai mudando com o passar do tempo. E a gente, você, todo mundo merece se presentear com o que veste melhor AGORA, nesse exato minuto.

4. Peça vintage não é a mesma coisa que peça velha! E a não ser que se tenha tudo-a-ver com o estilão antiguinho de brechó, não vale guardar peças de outros tempos -- mesmo quando "a moda volta" a forma das peças é outra, os materiais são diferentes, a construção da roupa é toda outra.

5. Um armário cheio demais limita a criatividade: geral se acostuma a usar uma blusa só com uma calça específica, ou um vestido só com um sapato... geralmente repetindo uma única fórmula que já deu certo, sem experimentar novos usos, sem versatilizar peças e fazer render o que se tem. Guarda-roupa enxuto funciona melhor e facilita o exercício de aprender/explorar possibilidades e combinações. Se liga: se uma peça não rende pelo menos 3 looks diferentes, ela não é nem prática nem tão funcional.

6. Se tem peça parada no armário por conta de comprimento, tipo de manga, ombro fora de lugar... vale descolar uma costureira pra tentar ajeitar e estender vida útil da peça, né? (Só vale pra peças MUITO AMADAS, e se não for esse o caso é melhor repassar a peça do que gastar com ela).

7. Fica ligada que sapatos que já passaram muitas vezes por consertos uma hora podem deixar a gente na mão. Até sobrevida tem limite! ;-)

8. Muitas vezes a gente compra por emoção, ou se apega às lembranças que uma ou outra roupa carregam -- vestido de noiva, blusa da formatura, presente de alguém querido, look do dia em que se conhece alguém importante, etc. Tudo bem ter no armário um 'cantinho sentimental' mas né, esse cantinho não pode ocupar tanto espaço que atrapalhe a parte funcional do guarda-roupa.

9. Roupa tem que servir pra vida que se tem: não adianta ter uma dúzia de terninhos se você não trabalha mais na multinacional ou se largou o Direito há anos. Também não vale a pena ter um monte de vestidos de festa ou blusas de balada se no fim de semana seu programa favorito é ir pro parque com as crianças ou com o catioro.

10. Essa a gente vê direto nos armários das nossas clientes: geral deixa de usar coisas que não estão à vista. Saquinhos capinhas sacolas caixas só vale se ventilam e, principalmente, se permitem visualizar/acessar facilmente o que acomodam! No nosso trabalho de revitalização de GR a gente faz a maior força pra deixar tudo à vista, inclusive acessórios!

11. Tiro de misericórdia: se der dúvida de tirar uma ou outra peça, faz um experimento e guarda essas (POUCAS) peças numa mala, ou lá no alto do guarda-roupa. Daí bota na agenda pra revisitar essa peça em 6 meses pra ver se o coração ainda bate forte -- e se não bater, é trocar ou vender ou doar sem dó.

12. Fica fácil, no fim de toda faxina de armário, visualizar novas possibilidades. Faz uma listinha do que ainda não tem no seu acervo e que faria diferença... e segue a vida com essa listinha pra fazer compras futuras bem certeiras.

<3

+ limpeza estratégica de guarda-roupa
+ abrindo espaço físico e mental no guarda-roupa