ESTILO PESSOAL NA GRAVIDEZ, SIM SENHORA!

Todas as definições de ‘empoderamento’ são re-definidas quando a gente lembra que mulheres podem fabricar outros serzinhos humanos dentro de si, nénão? A gente entende (trabalhando com o que a gente trabalha!) que gestação tem a ver com esse empoderamento — e também com aceitação do corpo como ele é (e como precisa ‘se moldar’ pra fazer esse trabalho tão honroso!), com celebrar gerações anteriores e singularidades.

Mas né, na consultoria de estilo a gente trabalha especialmente o olhar apreciativo pra gravidez: em vez de enxergar problema ou dificuldade, a gente procura potencialidades — e planeja, junto com cada cliente grávida, um guarda-roupa que dê segurança pra deixar fluir a energia pra ooooutras coisas que não sejam ‘não tenho nada pra vestir’.

Sem certo-e-errado e sem fórmula pronta, que né, cada cliente-gestante é todo um universo. Levando em conta que a barriga já é o centro da atenção nesse período, mas fazendo brilhar também a dona da barriga. ;-)

FAXINA PRÉ-BARRIGA

Bom é já repassar o guarda-roupa e olhar com olhos de carinho pra tudo que é feito em malha molinha, procurando potencialidades pra fazer render bons looks confortáveis. Vale também separar o que certamente não vai ser usado na próxima (longa) temporada: o que já é pequeno demais ou muito justo na cintura/no quadril/nos peitinhos (alô camisas com botõezinhos que podem explodir!), o que é desconfortável, o que não tem a ver com a temperatura dos próximos meses. Vale guardar num gavetão fora da vista, numa mala, vale fazer uma grande doação. Com um conjunto reduzido de peças -prontas pra ser usadas de verdade- fica mais fácil se vestir e também prever futuras compras certeiras.

(Atenção pro frenesi das compras desesperadas para o período da gravidez: não vale comprar muita coisa, é certo que vão rolar uns enjôos no tempo de despedida da barriga. Melhor ter menos e usar tudo muito — pra não ter tanto trabalho com descarte na sequência.)

1º TRIMESTRE

Desafio maravilhoso do trabalho de consultoria em começo de gravidez é enfatizar a barriga — pra cliente estar 100% grávida desde o comecinho dessa jornada, e não só sem-cintura (rs). Pra botar evidência na mini-pança a gente procura decotes tipo império (em peças mais ajustadas logo embaixo dos peitinhos ou fazendo acontecer essa modelagem com cintinhos ou faixas) e blusas mais amplas, como batas (mesmo que soltinhas por baixo de terceiras-peças, que podem ser usadas abertinhas mesmo).

Também já é o caso de se exercitar o foco nos peitinhos/peitões, que tipicamente inflam e deixam o colo das grávidas super vistoso. <3 Vale escolher decotes verticais, pra criar sensação de pescoço alongado e de rosto mais elegante. 

Quadril também aumenta, coxa e bumbum quase sempre também. No nosso trabalho a gente re-significa esses centímetros a mais, junto com nossas clientes, lembrando que a natureza é sábia e que é preciso espaço pra fazer passar por ali um TODO UM BB no dia do parto. \o/ As calças jeans mais molinhas e com mais elasticidade do armário podem render boas coordenações nesse começo — se for preciso, com a ajuda do truque do elástico no botão do cós!

2º TRIMESTRE

No 2º trimestre fica tudo menos difícil (rs!): o barrigão já aparece e nossas clientes gravidinhas ainda não estão pesadas demais ou super inchadas — é a fase mais gostosa pra se vestir, a gente acha. Hora de botar a pança pra jogo! Mas também uma boa hora pra re-definir cintura. Assim, ó: blusas e vestidos que marcam a parte de cima da silhueta deixam a barriga em evidência, mas delineando uma silhueta bem feminina, com direito até a uma pseudo-cinturinha de costas. ;-)

Começa, no nosso trabalho de consultoria, a fase das malhas com interessância, que caem gostosas e soltinhas, mesmo quando mais próximas da pele — e que podem ser incrementadas com acessórios e com terceira-peça. Se liga: com a chegada do 2º trimestre a gente sugere aposentar blusas amplas demais, em especial as confeccionadas em tecido plano, tipo camisão. A idéia é não dar chance pra silhueta-blocão-quadradona, que em geral deixa mulher grávida maior do que é preciso.

É também quando uma boa calça jeans de gestante pode render looks práticos, confortáveis e versáteis — dependendo da coordenação, ó, vai pro trabalho, pro cinema, pro passeio no fim de semana. Os modelos das lojas tem pala de malha que encaixa na barriga ou elástico regulador que passa por dentro do cós e ó, as duas podem ser “produzidas” em casa, com ajuda de uma costureira: vale colocar a pala de malha no jeans favoritão ou mesmo pedir à costureira pra abrir essa mesma favoritona nas laterais (num triângulo) e costurar um elástico grosso nos recortes.

A gente não acha tão legal usar praticidade como desculpa pra comprar/adaptar um monte de calças jeans, que né, ninguém precisa passar toda a gravidez com a mesma cara! Vale ter 2 jeans com modelagens e lavagens bem diferentes e, além desses, outras poucas calças bem diferentes entre si (em alfaiataria, em malha, em plush, em brim colorido, em crepe, em veludo…). Menos quantidade e mais variedade sempre rende mais coordenações, pode acreditar.

E ó: caimento bom pra parte de baixo da gestante é caimento soltinho, com sobrinha de tecido no bumbum, pra garantir ppk e coxas e bumbum e quadril confortáveis lá dentro, sem sensação de que as costuras podem ceder ao se sentar e levantar. Nessa energia da elegância e do #dresscodedavidabemvivida, a gente sugere usar legging não como calça — mas como um complemento de vestidos e blusas super longas, sem popô e ppk em evidência. ;-)

3º TRIMESTRE

Alô clientes já redondinhas \o/ muitas vezes já começando a inchar! 3º trimestre é quando o conforto e facilidade precisam reinar — e nosso desafio como consultoras de estilo é não deixar a peteca do estilo pessoal cair. Vestidos, materiais molinhos e sapatos só de enfiar o pezinho (sem precisar amarrar ou manipular fecho/fivela) fazem o vestir ser tarefa menos cansativa, nénão?

Agora, do meio pro final da gravidez, é quando os acessórios tem mais valor no estilo pessoal de quem tá enorme de pança: é muita informação de personalidade, humor, vontade, num pequeníssimo espaço ocupado, sabe como? E né, acessórios podem ser gastos feitos com visão de longo prazo.

Então melhor energia que se coloca no vestir do 3º trimestre é em colar, brincão, acessório de cabelo, broche, pulseira e bolsa — acabamentos que não dependem de quantos quilos se ganhou ao longo da gestação e podem mudar a cara de uma mesma produção (anéis e sapatos podem não servir, nesse caso). Pensa num mesmo vestido nessas 3 versões, ó:

  • no lazer, com sandalinha rasteira, com sacolona de palha e lenço no cabelo
  • no trabalho, com sapatilha de verniz, com bolsa de alça no ombro e colarzão
  • num jantarzinho com sandália de salto médio/bem grosso, com pequena bolsa de mão e brincões bem brilhantes

Essa é a idéia: mínimo esforço físico garantido com máxima criatividade. ;-)

CARA (E CABELO) DE GRÁVIDA

Corpo muda demais ao longo da gravidez e não vale (mesmo!) a pena comprar muita roupa — mas vale sim investir em cabelo bem cuidado e maquiagem presente, atenciosa. Corte e hidratação em dia e pele/olhos/bochechas/lábios caprichados podem render autoestima lá no alto, a gente te jura.

Vale pensar jeitos diferentes de prender o cabelo ou providenciar, desde o resultado do exame, um bom corte — pra segurar o intervalo sem coloração de quem abre mão de tingir nos primeiros meses. E né, maquiagem leve sempre suaviza qualquer cansaço (por conta de sono esquisito, enjôo ou quaisquer incômodos) e a gente ainda acha que podem compensar o guarda-roupa restrito com alguma diversão: jeitos novos de pintar os olhos + cor na boca e nas unhas podem funcionar como acessórios. 

BARRIGA VAI À FESTA

Uma das maiores demandas das nossas clientes grávidas tem a ver com festas e baladas: gestante também tem vida social né meu povo, e dá vontade de estar gatinha como qualquer outra sem-barriga. Vestidos são práticos, a gente sabe, mas também são alongadores de silhueta — e comprimentos ajudadores são o curtinho ou o longuete, que criam sensação de silhueta menos quadradinha.

Pensando em custo-benefício e no tanto de compras que se faz pra chegada de um bb, vestido de festa quase nunca é prioridade. Melhor gastar pouco ou nada — aproveitando o que já tá no armário, incrementando escolhas com acessórios (brincão, bolsa linda, sandália em material bem sofisticado, super colar…) e com pontos estratégicos de atenção.

Tipo, celebração com barriga é desculpa perfeita pra escolher decotes como ponto central da produção: que tal uma assimetria bem marcada, um ombro só, bordados e aplicações valorizando o colo? Um bom recurso pra botar peitóns dividindo atenção com a pança, com caimento soltinho na parte de baixo pra suavizar o peso extra do bumbum e das coxas (alô modelagem império!).

Um extra: festinhas e baladas também é tempo bom da grávida subir um tantinho no salto, mas com pé inchado é bom ficar de olho em saltos mais grossos e bem firmes, confortáveis. Saltos fininhos como o agulha podem render impressão de que vão quebrar a qualquer instante com a barriga-planeta equilibrada em cima, e né, o centro de gravidade do corpo-gestante muda totalmente!

E a gente tá sempre ligada nisso daqui, ó: maquiagem e cabelo também mudam formalidade/adequação de um look inteiro, da feira ao baile. ;-)

AMAMENTAÇÃO

Não são só 9 meses, né pessoal! BB vem ao mundo mas mamãe permanece com pança enquanto amamenta ;-) e o que vai por baixo da roupa nesse período faz TODA diferença. 

Garantia de sensação boa (literalmente de dentro pra fora) é usar lingerie bonita — mesmo as especiais pra amamentação, no tamanho confortável, com alças espessas e laterais mais firmes. Não dá pra usar as mesmas lingeries de antes, então esse mini-enxoval pode ser preparado com carinho especial: cuidar desses detalhes “que ninguém vê” fazem a gente se sentir melhor com a gente mesma, e isso transparece de um jeito que faz a gente parecer mais bonita, mais luminosa.

E aí é se preparar pra que, mesmo em casa, a sensação de confiança (de tudo ‘tomado conta’) permaneça garantida: partes de cima fáceis de abrir/levantar, lenços lindos pro caso de precisar cobrir o bb enquanto o mamá tá rolando, chinelinhos/sandalinhas/mules bem descoladas (combinando com o que a gente tem de mais confortável), acessórios fáceis de prender o cabelo. <3


Essa conversa pode render ainda mais nos comentários: ce tem dicas pra trocar com a gente? Viveu uma experiência que vale compartilhar? Tem dúvidas que não tão contempladas aqui? Vamo seguir juntas? \o/