5 IDÉIAS PRA UM GUARDA-ROUPA AJUDADOR

E a gente parte desse princípio aqui, ó: um guarda-roupa ajudador é o que facilita a nossa vida, rende sensação de adequação em todas as ocasiões que a gente vive e que possibilita coordenar rapidinho looks que fazem a gente se sentir LINDA -- conciso, versátil, atualizado. Essas 5 idéias, então, vem diretamente do nosso repertório prático no atendimento como personal stylists, testadas na vida real com resultados eficazes: servem tanto pra comprar melhor como pra manter em mente na hora de descartar o que há de excesso no armário. Não é solução a curto prazo nem arruma a vida estilística de um dia pro outro -- mas serve pra vida toda e pode (deve!) ter aplicação personalizada, singular. Um spoiler: o segredo (da vida adulta em geral) tá no planejamento. ;-)

QUANTIDADE x QUALIDADE

É mais inteligente ter uma quantidade razoável de peças bem boas --feitas em material de qualidade, com acabamento durável-- do que ter montes de peças que logo nas primeiras lavagens desbotam, descosturam, soltam botões, criam bolinhas no tecido, etc etc etc. Poucas e boas mesmo: de que adianta ter um guarda-roupa lotado e correr na área de serviço toda manhã pra buscar no varal aquilo que foi usado ontem, anteontem? Esperto é ter o essencial, o que realmente faz a diferença (e o que a gente AMA) e tirar da frente e da vida o que é excesso e só ocupa espaço -- físico e mental.

CUSTO x BENEFÍCIO

Uma conta simples de se fazer -- e muito elucidativa essa da relação custo x benefício das nossas roupas: vale mais destinar a maior parte do orçamento estilístico pro que se usa mais, e procurar minimizar ao máximo o gasto com o que se usa menos (a gente aqui pensa rápido em roupa de trabalho x roupa de festona, por exemplo). Construir um guarda-roupa usando essa direção ajuda a fazer valer o preço do que a gente veste (bem!) e a ter menos peso na consciência ao descartar o que já foi usado milhões de vezes.

PROPORÇÕES DE PEÇAS + VERSATILIDADE

Um guarda-roupa conciso funciona zilhões de vezes melhor que quaisquer outros superlotados quando

  • tem mais partes de cima do que partes de baixo,
  • tem peças muito variadas entre si.

Nossas clientes aprendem a variar ao máximo os looks pensando em partes de cima completamente diferentes pras mesmas partes de baixo, criando looks novos com as mesmas peças. Tipo, com a mesma calça, criar um look pra trabalho e um outro pro lazer, apenas variando as partes de cima. Ou com uma mesma saia montar um look pro frio e um outro pra calor, na mesma idéia de variar a coordenação.

Essa idéia funciona super quando o guarda-roupa tem peças muito diferentes entre si: um monte de camisas sempre fazem looks-com-camisa, mesmo que as camisas tenham cores variadas. Ou um armário cheio de camiseta branca sempre rende looks-com-camiseta-branca, mesmo que elas tenham mangas diferentes, decotes diferentes.... saca?

ACESSÓRIOS COMO CEREJA DO BOLO

Um bom conjunto de acessórios é o de peças funcionais e práticas, mas também bonitas e comunicadoras de estilo pessoal. Sapato e bolsa são os mais especiais no guarda-roupa feminino, e são bons exemplos dessa atenção à "forma e função": podem se confortáveis e muito funcionais, e, ao mesmo tempo, podem incrementar com cores, com design esperto, com texturas, com materiais originais, com recortes, brilho, proporções. Uma coisa não precisa estar separada da outra: ser bonito/interessante é uma função do acessório! E nem precisa ser árvore-de-natal: um bom começo pra exercitar o uso de acessórios como cereja do bolo dos looks :) pode ser esse: pensar em uma peça principal pra, se for o caso, acrescentar outras menores-periféricas como coadjuvantes.

ATUALIZAÇÃO CONSTANTE

Se a gente elimina o excesso (inútil e eficaz) do guarda-roupa e passa a ter só o que ama, e se a gente usa muito (e de muitos jeitos) tudo que tem... é natural que a roupa acabe! Quanto mais qualidade tem, mais tempo a peça leva pra acabar, mas uma hora acaba mesmo. Vale então avaliar o que era o ativo principal da peça a ser substituída, pra procurar numa nova peça esse mesmo ativo -- e assim suprir a função da finada peça e manter o guarda-roupa sempre com uma novidade, um estímulo novo pra criar looks com as peças antigas. Entra uma nova, sai outra velhinha: equivalente mas com um frescor :) sem precisar superlotar o acervo de novo.

((Por fim, ó: feitas com planejamento, tanto compras quanto limpezas podem acontecer em intervalos cada vez maiores, com resultados cada vez mais certeiros -- com o "plus a mais" de economizarem mais e mais o nosso dinheirinho a cada novo exercício.))

(Esse post foi publicado originalmente em julho de 2008 -- o tempo se diverte quando e a gente voa, né?)