reaprendendo a se vestir (parte 1)

(série de conteúdos produzidos pela Cris na 1ª gravidez dela - todos os posts dessa série estão aqui.)

Uma vez a gente ouviu o cabelereiro Marcos Proença dizer que "cabelo da moda é cabelo que funciona com o nosso estilo naquele determinado momento da nossa vida". E na Oficina a gente acredita que com roupa é a mesma coisa: a gente não muda a personalidade, não muda valores ou essência, mas muda de estilo de vida, de corpo, muda de cidade e até de gosto! 

Quando acontecem essas transformações -internas e/ou externas- a gente tem que reaprender a se vestir. Então nada mais normal do que ficar completamente perdida no próprio guarda-roupa quando a gente descobre que vai ter um baby em 9 meses e que, a partir daquele segundo, o corpo vai mudar a cada dia! Esse post-meio-diário é pra dividir aprendizados que a gente vem tendo aqui na Oficina (porque a Fê me ajuda nas minhas aflições). A gente espera que sirva não só pra gestantes, mas também pra quem estiver passando por alguma "crise de indentidade fashion". ;)

O que primeiro mudou no meu corpo foi o quadril -que nunca foi meu ponto forte- e de repente era maior do que sempre foi, já não cabia em quase nenhuma calça. Eu descobri que nos primeiros três meses de gravidez a mulher acumula gordurinhas e acaba ficando mais cheinha independente da alimentação que faz. É a fase que a gente não se sente grávida, mas se sente gorda!

barriga.jpg

na dúvida, empina a barriga!!!

Uma mega limpeza no guarda-roupa, com paciência pra experimentar peça por peça, foi o início do meu aprendizado. Tudo o que não servia ou que servia por pouco eu tirei do armário. O que eu acho que ainda vou querer usar daqui um ano, guardei em uma mala, e as outras peças foram pra doação.. Com um conjunto não muito grande de peças que ficavam bem no meu corpitcho, começou a ficar bem mais fácil me vestir e prever futuras comprinhas - deu pra perceber que tinha muito mais vestido do que calça, que camisetas mais longuinhas iam fazer a maior diferença, que complementos como coletes e jaquetinhas podiam atualizar meus looks!

E daí comecei a me "fantasiar" de grávida, mesmo antes da barriga aparecer. É bem mais confortável pra gente e pra quem a gente encontra pelo caminho tirar qualquer dúvida sobre aqueles quilinhos a mais! ;-) Malhas e tricôs no lugar de tecido plano, faixas e cintos presos logo abaixo dos seios (criando um decote império), calças mais sequinhas com tops ou vestidos mais soltinhos: colocar a barriga mais marcada e em evidência é a melhor solução. E se mesmo assim alguém olha com aquela cara de "será que", nada como por a mão na barriga e fazer um carinho bem maternal... Sempre funciona!!!