reaprendendo a se vestir (parte 2)

(série de conteúdos produzidos pela Cris na 1ª gravidez dela - todos os posts dessa série estão aqui.)

Logo no começo da minha gravidez eu fiz uma viagem de 20 dias para Portugal, e a previsão do tempo era de calor tipo 40 e poucos graus. Também no começo da gravidez eu perdi cintura e ganhei centímetros no quadril e bumbum (depois eu aprendi que isso não acontece só na minha gravidez!). Sem nenhuma roupinha de verão que me servisse pra colocar na mala, fui obrigada a fazer umas comprinhas - e aproveitei pra investir em peças que fossem servir, se não em toda, em boa parte da gestação. A gente tinha meio que acabado de atender uma cliente grávida já de 7 meses aqui na Oficina, e estudamos bastante sobre o assunto: munida de toda essa teoria fui testar, na prática e comigo mesma, o que ia funcionar ou não pro meu novo corpitcho.

A primeira peça que tive vontade de provar (e que continua me salvando) foi um vestido mais soltinho. E não é qualquer vestido que dá certo! Entendi que um bom vestido pra gestante - ou pra quem quer parecer menos redonda e se sentir confortável - precisa ter decote que deixe o colo à mostra, um pouquinho de manga, precisa não ter a cintura marcada, ser feito de malha ou de tecido natural maleável e ter comprimento perto do joelho.

(e o melhor vestido é aquele que vai a qualquer evento em qualquer ambiente - só variando os acessórios!)

Calças confortáveis, de amarrar, em tecido mais molenga/leve também são super importantes na hora de montar um "mini-guarda-roupa" de gravidez. Essas calças ficam ótimas com camiseta e teninhos no fim de semana pra ir até a feira, por exemplo, e ficam também lindas com uma jaquetinha ou com blusa em tecido plano e rasteira pra programinhas mais light.

Pra completar a minha "mala perfeita" :) eu investi numa bata bem evasê em tecido plano, em duas blusas bem longas em malha (pra caber o futuro barrigão), num tricô leve e soltinho, numa bermuda larguinha (dois tamanhos maiores do que costumo usar), num jeans masculino (tem todo um post só sobre jeans pra grávida aqui no blog) e numa faixa de tecido bem fininho que funciona como cinto. E acreditem, NE-NHU-MA dessas peças foi comprada em lojas de grávida!

gravidas.jpg

buscar inspiração é um exercício super saudável pra fazer antes de sair comprando

Moral da história? Compras pensadas e planejadas rendem peças que coordenam com muitas outras peças do nosso guarda-roupa, trazem versatilidade e praticidade pro nosso dia-a-dia e evitam ressaca moral do tipo "onde eu tava com a cabeça quando comprei isso", sabe? Tive sorte de comprar essas peças todas em liquidação - e tenho usado todas, muito, mesmo quatro meses depois (e quatro quilos a mais). Não é ótimo?

(Deixei pra comprar acessórios na viagem, porque eu não sou boba nem nada! ;-) E isso fica de assunto pra um próximo post!)