JEITOS DE SINGULARIZAR A ENTREGA PROFISSIONAL

(OU: Como enriquecer o coletivo com relevância a partir das nossas atuações individuais)

Todo curso de formação em consultoria de estilo (ou de imagem, ou de moda) já ensina técnicas de análises de coloração pessoal, de silhueta, de traços de rosto etc. E aí, a própria atuação profissional dá chance da gente treinar essas habilidades essenciais pro trabalho: em todo atendimento de consultoria a gente aprende (mais e mais) sobre essas mesmas técnicas, ampliando nosso repertório a partir das demandas diferentes que cada cliente traz consigo.

2.jpg

Abraçar a formação teórica como suficiente e se aperfeiçoar nas técnicas com a própria experiência prática pode ser um caminho — pra então se aplicar em estudos complementares e construir ciclos de abundância. Tem que confiar que conhecer a matéria é importante, mas que o aperfeiçoamento naturalmente vem atrelado à experiência na vida real (pr’além da sala de aula apenas).

Tamos especialmente interessadas em disciplinas que não se conectam diretamente com a nossa área de atuação, pra não “ensimesmar” demais. A gente tem pensado mais e mais que a vida é muito ampla e que o nosso próprio mercado ou as nossas disciplinas “internas” são muito pouco — e, por isso, não precisam ser nossa única referência. De que adianta vender singularidade e, no nosso mercado de atuação profissional, não ter diversidade de consultoras pra atender essa singularidade toda que a gente quer promover? Só trabalhar com consultoria de estilo não singulariza!

Então se a gente trabalha com pessoas, que temas tem a ver com isso? 
TODOS!

_aqui tem colegas de profissão em vários lugares do BR e suas indicações de cursos comlementares à formação;
_aqui tem os links dos últimos cursos que a gente mesma fez.
_e tem outras colegas estudando perfumaria e cosmetologia natural, alta performance, sustentabilidade, neurolinguística, sagrado feminino, arquitetura, comportamento e linguagem-não verbal, filosofia feminista, poesia, cinema, história da arte, literatura, tanta coisa diferente!

No lugar de emendar cursos das mesmíssimas disciplinas de sempre (com todo mundo estudando tudo igual), parece fazer mais sentido encontrar o que toca o coração, o que tem a ver com vontades individuais muito autênticas. Na direção do que expande, pra enxergar diversidade nas nossas clientes, pra expandir nosso repertório de tolerância e de aceitação e, especialmente, pra potencializar nossas próprias singularidades \o/ como serzinhos humanos e como consultoras de estilo. 

Um mercado de consultoras de estilo é bem diferente de um mercado de consultoras de estilo com especializações variadas e complementares. E a gente entende que tá aí uma chave de não-competição e de enriquecimento do coletivo com relevância (a partir das nossas atuações individuais!) — nénão? 

Assim, é natural que essas habilidades pessoais/interesses individuais comecem a permear o nosso jeito de atender na consultoria de estilo e também a maneira como nossas empresas funcionam. Esse encontro da técnica com a singularidade é exatamente o que abre espaço pra criar o que ainda não existe, pra inventar coisas/produtos/serviços novos, pra pensar fora da caixa — e nisso o mercado todo cresce em relevância e todo mundo ganha. <3