STREETSTYLE x ESPONTANEIDADE x DIVERSIDADE

Os sites de streetstyle existem hoje nessa quantidade por conta da globalização: a gente pode, com um clique, bisbilhotar o que todo mundo tá usando em qualquer parte do mundo. E aí o que se usa nesses sites vira inspiração pra gente usar/aplicar nas nossas escolhas de todo dia, e as referências vão se diluindo e os cliques vão ficando mais rápidos e frenéticos e todo mundo vai querendo ter/ser a mesma coisa e quando a gente vê -AFFF- todos os sites tem os mesmos looks, usados por pessoas diferentes em lugares diferentes. Pra muita gente, ser fotografada para um desses sites é um elogio, um sinal de reconhecimento -- então a referência pode passar a ser pautada pelo gosto pessoal do fotógrafo x ou y, como se a gente procurasse vestir o que sabe que rende material pro site de streetstyle (que por sua vez está super claro, uma vez que o fotógrafo clica quase sempre as mesmas idéias). Pode ser que essa dinâmica esteja deixando de ser só uma dinâmica e esteja virando um ciclo vicioso anti-diversidade no vestir.

Ou pior: um ciclo vicioso anti-espontaneidade.

1.png

No nosso meio (de clientes de consultoria de estilo, mulherzinhas independentes de trinta e alguns anos), esse streetstyle dos sites aparece quase que só na internet mesmo -- super pouca gente se veste assim na vida real. Essa montação estudada, calculada a partir da referência externa, quase não encontra lugar em calçadas e ambientes de trabalho (tem em volta de vocês?). Isso de esperar o fotógrafo abordar pra clicar e fazer a imagem rodar o mundo vira meio que um "reality show do vestir de todo dia": uma atividade que se ~supostamente~ faz naturalmente (por que né ninguém pode sair pelada na rua) mas que se imagina ser vigiada por câmeras. Pro outro, e não tanto pra gente mesma.

No vestir, o elogio que mais importa é o elogio da própria vida, do bem viver -- esse que o próprio espelho entrega pra gente em forma de sorriso, sabe? Essa sensação de chegar em casa no fim do dia e ainda se sentir bonita, sentir que esse look vale repetir, que rendeu conforto, animação, até inspiração pra quem esteve em volta da gente. Sentir que o namorado/marido/filho/amigona achou a gente linda -- isso sim é elogio, sem nem precisar dizer!

Esse tipo de elogio a gente consegue sendo mais e mais A GENTE MESMA, fazendo força pra evidenciar -no que veste- tudo que a gente tem de único, de vontade própria, de referência pessoal e de personalidade singular. Por mais diversidade estética no mundo, por um vestir com mais espontaneidade.

+ propaganda atrapalha estilo pessoal
+ espontaneidade de mentirinha
+ descubra e aperfeiçoe seu estilo pessoal

NOSSA NEWSLETTER SEMANAL chega aí no seu email com mais questionamentos, facilitadores de vida e idéias práticas sobre estilo pessoal e consumo consciente. ASSINA PRA RECEBER!