LISTA ÉTICA-PARTICULAR DA OFICINA DE ESTILO

((essa lista faz parte do post COMO FAZER COMPRAS CONSCIENTES ONLINE))

 

100% inspiradas pelas moças do Cinese, preparamos aqui a nossa lista de preferências (e não-preferências) na hora de pesquisar/comprar (especialmente online). Tudo no trabalho de consultoria de estilo é super dinâmico e a cada cliente a gente conhece novas marcas, aprende coisas novas -- então a intenção dessa lista é não permanecer estática, mas ser atualizada na medida da nossa experiência prática. Também estamos aprendendo e compartilhamos o caminho enquanto o percorremos -- não temos respostas prontas e não queremos ser modelo! Essa é a nossa lista, e cada uma de nós pode demais ter/criar a sua própria.

multimarcas com nova energia :) pra pesquisar/comprar

enjoei -- site de venda de artigos usados
the concept -- multimarcas brasileira de produtos com propósitos e causas
+alma -- curadoria de marcas e peças autorais, pequenas e brasileiras
elo 7 -- plataforma que intermedia a compra direto de quem faz
etsy -- plataforma internacional que intermedia a compra de designers do mundo todo (amamos DEMAIS)
bazar da praça -- mercadinho online do coletivo de designers independentes que acontece em forma de evento na vida real de tempos em tempos aqui em SP

((Sem esquecer que comprar loucamente qualquer produto usado/sustentável não é uma atitude sustentável!))

multimarcas mais tradicionais pra pesquisar/comprar

gallerist -- multimarcas baseada em SP
stylemarket -- multimarcas baseada em SP
farfetch -- multimarcas que trabalha com lojas do mundo todo
asos -- internacional, variadíssima e com política ética-sustentável-realista que a gente ama

algumas marcas que a gente AMA

(que tem e-commerces próprios ou que a gente procura nas multimarcas online) 

flávia aranha -- catarina mina -- paula raia -- andrea marques -- basico.com -- juliana gevaerd -- gilda midani ecojóias -- carol barreto -- a sapatilha (BH) -- laundry -- giuliana romanno -- laiá shoes -- iara wisnik -- botti -- acolá -- etoiles -- t.ishida -- luiza perea -- fernanda yamamoto -- yes i am jeans -- sonia pinto -- lane marinho -- a.niemeyer -- cabana crafts -- dre magalhães handmade -- insecta shoes -- montage -- yogini -- plural (BH) -- jardin fashion (BH) -- trocando em miúdos -- ronaldo fraga -- minimal -- marisa ribeiro -- seja seiva -- sophia hegg -- pade d

*em geral a gente prefere fazer compras/indicar comércios assim, de escala menor, com donos que sejam donos de verdade (serzinhos humanos) e que conheçam mais de perto todas as etapas de criação, produção e distribuição dos seus produtos -- no lugar de grandessíssimas redes ou marcas administradas por grandes grupos de investidores/banqueiros. saiba mais nesse post aqui.

grandes grupos de marcas que a gente evita tanto quando possível

inbrands -- ellus e ellus 2nd floor, salinas, richards, mandi, bobstore, g-star, herchcovitch;alexandre
AMC -- colcci, forum, triton, sommer, coca-cola clothing, tufi duek
grupo restoque -- bobô, le lis blanc, john john, dudalina, rosa chá
grupo da arezzo -- arezzo, schutz, ana capri, fiever
SOMA -- farm, animale, fyi, a.brand, cris barros :(
JBS/friboi -- havaianas, osklen, mizuno, topper, sete léguas
GEP -- cori, luigi bertolli, emme
grupo morena rosa -- morena rosa, maria valentina, zinco, joy
LVMH -- louis vuitton, marc jacobs, fendi, givenchy, céline,
kering (antigo PPR) -- gucci, balenciaga, bottega veneta, yves saint laurent, puma
richemont -- cartier, mont blanc, chloé, lancel, piaget

marcas/lojas que a gente evita tanto quanto possível

riachuelo -- forever21 -- topshop -- animale -- a-brand -- todas as marcas/lojas dos bairros Bom Retiro e Brás, em SP (onde tá a grande maioria das confecções que exploram trabalho escravo)

marcas envolvidas com trabalho escravo (a gente monitora pelo app modalivre)

marisa -- zara -- bobô -- gregory -- forum -- renner -- m.officer -- triton -- john john -- le lis blanc -- cori -- colcci -- leader -- luigi bertolli -- richards -- siberian -- tufi -- duek

Por fim: consumir consciente não é só querer saber de onde vem, mas também cuidar do descarte -- do 'pra onde vai'. Cuidar da manutenção pra estender ao máximo a vida útil e então se responsabilizar pelo fim (sabia que não tem reciclagem de resíduo têxtil no BR?). Vale então pensar bem antes de tirar qualquer coisa da loja: muitíssimas vezes a atitude mais sustentável é não comprar!